Ex-vice-prefeito de General Sampaio é acusado de ocultar mais de R$ 1 milhão em conta de motorista

Dinheiro seria proveniente de propina paga por empresas que prestavam serviços ao Município, segundo a denúncia

Escrito por Messias Borges, messias.borges@svm.com.br

Segurança
A denúncia foi assinada pelo promotor de Justiça Jairo Pereira Pequeno Neto e enviada ao Poder Judiciário na última terça-feira (28)
Legenda: A denúncia foi assinada pelo promotor de Justiça Jairo Pereira Pequeno Neto e enviada ao Poder Judiciário na última terça-feira (28)
Foto: José Leomar

O ex-vice-prefeito de General Sampaio, Washington da Silva Marinheiro, foi denunciado pelo Ministério Público do Ceará (MPCE) por receber propina de empresas e ocultar mais de R$ 1 milhão na conta corrente do seu motorista, Francisco Eudes Magalhães Oliveira, que também foi acusado por participação no crime. A dupla foi presa no ano passado, mas responde ao processo em liberdade.

82 anos
A denúncia, assinada pelo promotor de Justiça Jairo Pereira Pequeno Neto e enviada ao Poder Judiciário na última terça-feira (28), pede a condenação de Washington Marinheiro por seis crimes de corrupção passiva e uma lavagem dinheiro, o que pode resultar em uma pena de até 82 anos de prisão; e de Francisco Eudes pelo crime de favorecimento real, que tem pena máxima de 6 meses de detenção.

Conforme documentos obtidos pelo Diário do Nordeste, a investigação apontou que o ex-vice-prefeito de General Sampaio recebeu, indiretamente, em razão do exercício de sua função pública, vantagem indevida de empresas prestadoras de serviços públicos ao Município.

O dinheiro ilícito seria recebido por Washington através da conta corrente do seu então funcionário Eudes, a qual o patrão tinha procuração pública e a posse do cartão magnético para movimentar. Relatório de Inteligência Financeira do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), do Governo Federal, descobriu que a conta movimentou R$ 1.035.605,00 entre 1º de fevereiro de 2013 e 31 de março de 2014, mesmo o salário do motorista sendo de R$ 678.

O Ministério Público também pediu à Justiça Estadual o bloqueio de todos e quaisquer bens de Washington Marinheiro, para ressarcir o prejuízo causado ao poder público no valor de R$ 1.035.605,00.

Em relação a Francisco Eudes, o MPCE propôs a suspensão do processo criminal pelo prazo de 2 anos, já que ele não possuía antecedentes criminais ou condenações na Justiça. Para isso, o motorista teria que cumprir as seguintes medidas:

  • Não frequentar casas de jogos, bares e outros estabelecimentos de lazer ou diversão pública no período noturno;
  • Não se ausentar da Comarca onde reside sem prévia comunicação à Justiça;
  • Comparecimento mensal à Vara para assinar termo e justificar atividades;
  • Compras de cestas básicas no valor de um salário mínimo.

Seis pagamentos de propina

A investigação policial identificou que o ex-vice-prefeito de General Sampaio recebeu ao menos seis pagamentos de propina, na conta do seu motorista. Confira as movimentações suspeitas:

  • R$ 200 mil creditados por uma empresa de construção;
  • R$ 11 mil depositados por empresa de locação de serviço de limpeza;
  • R$ 59 mil transferidos por outra empresa de construção;
  • R$ 5 mil creditados por responsável por empresa de locação de mão de obra;
  • R$ 25 mil creditados por empresa de transporte;
  • R$ 32 mil creditados por empresa de locações e construções;
  • E ainda cerca de R$ 595 mil creditados de forma anônima.

Washington Marinheiro e Francisco Eudes foram presos temporariamente em uma operação deflagrada pelo MPCE, com apoio da Polícia Civil do Ceará (PC-CE), em 30 de junho de 2021, há um ano. Mas foram soltos cinco dias depois, quando a prisão expirou.

Procurada pela reportagem, a defesa de Washington informou que ainda não teve acesso à denúncia e que irá se manifestar somente depois. Já a defesa do outro acusado, Francisco Eudes, não foi localizada.