PM retira mulher e filhos que, sem máscara, pediam dinheiro na Ceasa em Maracanaú

Ceasa afirmou que já é conhecida tanto por frequentadores como comerciantes. O órgão disse que ela usa as crianças para pedir esmolas dentro do entreposto.

Legenda: Fragmento de vídeo mostra mulher no chão agarrada com criança e PMS em volta dela
Foto: Reprodução

Policiais militares retiraram uma mulher da Central de Abastecimento (Ceasa), de Pajuçara, em Maracanaú, na Grande Fortaleza. Segundo a Central, a mulher costuma pedir esmolas na área e desobedeceu o pedido dos funcionários para sair, já que a presença de crianças está proibida no local. Por isso, segundo a central, foi necessária a intervenção policial.

Em imagens enviadas ao Diário do Nordeste, é possível observar cerca de cinco policiais e seguranças da Ceasa tentando reerguer do chão a mulher, que estava abraçada a um de seus filhos pequenos. No momento da abordagem, a mulher grita e a criança pede para ficar com a mãe. Após alguns minutos, a mulher se levanta e deixa o local juntamente com duas crianças - que estavam sem máscara.

Uma testemunha que preferiu não se identificar e presenciou a ação policial confirmou que a mulher já é conhecida costuma ir ao local e já é conhecida pelos comerciantes. Ela afirmou que, pouco antes da chegada da polícia, ela pedia frutas e verduras para levar para casa. A mãe também realizava a comercialização de doces.

“Eu frequento quase todos os dias a Ceasa. Já a vi algumas vezes. Mas, nos últimos meses está proibida a entrada de crianças. Ela estava com duas crianças e acredito que a direção não permite e, por isso, houve a confusão”, afirmou.

A Ceasa-CE afirmou que a mulher abordada por Policiais Militares usa as crianças para pedir esmolas dentro do entreposto, intimidando, clientes que vão fazer o pagamento do ticket do estacionamento.

Segundo a Ceasa-CE, após tentar entrar com as crianças pela entrada de pedestres e ter sido barrada, a mulher conseguiu entrar em um veículo no estabelecimento com as duas crianças, enquanto sua companheira ficou do lado de fora aguardando. A Ceasa-CE reforçou que, desde o início da pandemia, está proibida a entrada de menores de até 14 anos no local, para preservar os mesmos e cumprir determinações do Ministério Público do Trabalho, contra a exploração de crianças e adolescentes e a proibição do trabalho infantil.

O órgão disse também que foi pedido que a mulher deixasse o local, mas ela não obedeceu. A Polícia Militar foi chamada e conseguiu, então, retirar a mulher e as crianças. A Ceasa afirmou ainda que não houve nenhum tipo de agressão.

Crianças sem máscaras

A Polícia Militar afirmou através de nota que interveio na ocorrência, como mostram as imagens no referido vídeo, após um início de tumulto na Central. Conforme informações repassadas pelo comandante responsável pelo policiamento da área, os PMs foram acionados para o apoio já que a presença de crianças não é permitida; os filhos estavam se máscara e a mulher se recusava a sair.  Ela foi levada para residência em um veículo da própria Ceasa.

Sobre o homem que filmou o vídeo, alegando que a PM estaria agredindo a mulher, a polícia disse que foi abordado portando uma faca, sendo encaminhado, logo após, para o 14º Distrito Policial. O procedimento segue em andamento. Não houve feridos, bem como o Conselho Tutelar não compareceu ao local.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança