Operação contra desvio de dinheiro público apreende carro em prefeitura e cumpre 8 mandados de busca

Os mandados foram cumpridos em Assaré, Tarrafas, Juazeiro do Norte e Crato

Legenda: Operação Locupletari cumpre mandados em Assaré, Tarrafas, Juazeiro do Norte e Crato
Foto: Foto: Divulgação

A Polícia Civil do Ceará cumpriu, nesta quinta-feira (8), mandados de busca e apreensão no âmbito da Operação Locupletari, que investiga esquema de desvio de dinheiro público. Oito mandados foram cumpridos em Assaré, Tarrafas, Juazeiro do Norte e Crato. Computadores, celulares, documentos e um veículo foram apreendidos durante as buscas. 

São investigados crimes de peculato, lavagem de dinheiro, fraude a licitação, corrupção ativa e passiva. Um agente público, empresários e empresas envolvidas em contratos por licitação são alvo, além da Prefeitura de Assaré. Ninguém foi preso até o momento. 

“Vimos que essas empresas que participaram [das licitações] não existem ou não têm capacidade operacional”, apontou o delegado Giuliano Sena, à frente da Operação. 

Um veículo foi apreendido na casa de um empresário em Juazeiro do Norte.

"Vamos saber se esse veículo Hilux foi usado em outras licitações de outras cidades, porque estava com um proprietário. E também vamos verificar se esses veículos todos estão sendo entregues à prefeitura, e se houve subcontratação, porque a empresa não tem esses veículos no pátio dela pra suprir a demanda da prefeitura. Ou subcontratação ou direcionamento", comentou o delegado.

A Prefeitura de Assaré se posicionou afirmando não ser alvo da investigação, mas sim duas empresas que possuem contratos de locação de veículos com a administração municipal.

Legenda: Documentos apreendidos na Operação Locupletari, que cumpriu mandados de busca e apreensão em Assaré, Tarrafas, Juazeiro do Norte e Crato
Foto: Foto: Divulgação

Empresa e servidor já investigados 

Uma das empresas investigadas já responde a crimes de fraude a licitação, falsidade de documento público e desvio de verbas em outra cidade, pela Justiça Federal, de acordo com Sena. 

“Incluindo um desses servidores, que na época era servidor dessa outra cidade, nesse caso, em Salitre. Então, a mesma empresa e o mesmo servidor, que hoje está em Assaré, já são denunciados pelo Ministério Público pelos mesmos crimes”, salientou. 

A Operação revelou procedimentos de licitação fraudulosos feitos com uma empresa de fachada, e alguns realizados com participação de apenas uma empresa. Também há suspeita de superfaturamento na compra de veículos por parte da prefeitura. 

De acordo com o delegado Sena, as investigações são iniciais, já que o material apreendido pode levar a outros envolvidos no esquema.  

“Essa é a colheita inicial, alguns documentos que algumas equipes já apreenderam na casa de servidor da comissão de licitação têm várias propostas de licitação. É uma documentação bem farta que a gente vai analisar”, completou. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança