Líder de facção cobrava até R$ 50 mil e ameaçava de morte comerciantes em Aquiraz, diz Polícia Civil

De acordo com as investigações, grupo criminoso comandado por Maiko Douglas era violento e chegou a atirar contra estabelecimentos

Escrito por Messias Borges, messias.borges@svm.com.br

Segurança
Prisão foi realizada em ação integrada da Polícia Civil, com a Polícia Militar e a Coordenadoria de Inteligência (Coin)
Legenda: Prisão foi realizada em ação integrada da Polícia Civil, com a Polícia Militar e a Coordenadoria de Inteligência (Coin)
Foto: Divulgação/ SSPDS

Um líder de uma facção criminosa em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), cobrava até R$ 50 mil e ameaçava de morte comerciantes, em extorsões ocorridas naquele Município. Maiko Douglas Jorge da Silva, de 23 anos, foi preso enquanto viajava para o Interior e trafegava em um veículo em Pentecoste, na última segunda-feira (14).

Conforme informações divulgadas pela Polícia Civil do Ceará (PCCE) em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (16), Mayko Douglas era o principal idealizador e executor das extorsões, que ocorriam há anos, de forma presencial ou remota. Ele era procurado pelas autoridades desde 2020 e tinha um mandado de prisão preventiva em aberto pelo crime de organização criminosa.

O titular da Delegacia Metropolitana de Aquiraz, delegado Daniel Coelho, detalhou que o grupo criminoso comandado por Mayko chegava a ir nos comércios, para ameçar e cobrar os proprietários dos estabelecimentos. O dinheiro era pago em espécie, em outros locais, combinados pelos criminosos com as vítimas, como campos de futebol.

O 'modus operandi' desse grupo era bem violento. Houve casos até de disparos de arma de fogo contra os estabelecimentos."
Daniel Coelho
Titular da Delegacia Metropolitana de Aquiraz

Segundo Coelho, a prática de extorsões por facções é uma das principais preocupações da Polícia Civil em Aquiraz e a Delegacia Metropolitana tem priorizado o combate a esse crime. "A Polícia Civil, junto da Polícia Militar e da Coordenadoria de Inteligência (Coin), irá continuar as investigações, com o objetivo de prender todos os criminosos que praticaram esses crimes", pontua.

O diretor do Departamento de Polícia Judiciária Metropolitana (DPJM), delegado Leonardo Barreto, acrescenta que Mayko Douglas também é suspeito de ordenar ou praticar homicídios em Aquiraz e, com a prisão dele, a Polícia Civil poderá avançar nas investigações desses crimes.

Foi um passo dentro de uma investigação complexa, que poderá resultar em outros indiciamentos e outros tipos penais que podem ser imputados contra ele. Foi um excel trabalho integrado dos Órgãos de Segurança Pública, que dará mais tranquilidade aos comerciantes, que vinham sendo impedidos de realizar seu trabalho e de garantir o sustento dos seus familiares."
Leonardo Barreto
Diretor do Departamento de Polícia Judiciária Metropolitana (DPJM)

Preso com documento falso

Maiko Douglas Jorge da Silva foi detido no Centro de Pentecoste, na posse de um documento falso - com o nome de Caio. Por isso, ele também foi autuado em flagrante na Delegacia Metropolitana de Aquiraz pelo crime de uso de documento falso.

O líder de uma facção criminosa estava em um veículo Toyota Corolla, acompanhado da namorada, quando foi surpreendido pelos policiais, que já acompanhavam os seus passos quando conseguiram localizá-lo a caminho de Pentecoste.

Maiko alegou que utilizava o documento falso porque sabia que era procurado. A namorada dele também foi levada à Delegacia. O casal alegou à Polícia que ia para o Interior com finalidade de ajudar a irmã de Maiko a cuidar do filho recém-nascido.