Justiça decreta prisões preventivas de dupla suspeita de roubo e de atirar contra policiais

O caso aconteceu na segunda-feira (19). Dois funcionários feitos reféns pelos suspeitos foram baleados durante a ação policial. Uma das vítimas morreu e o outro segue internado no IJF

Os dois homens presos em flagrante durante o assalto que resultou em perseguição policial e com o funcionário de uma empresa de alimentos morto e outro funcionário ferido tiveram as prisões em flagrante convertidas em preventivas. O caso aconteceu na segunda-feira (19), na BR-116, em Chorozinho, Região Metropolitana de Fortaleza (RFM).

Leandro Silva do Nascimento Edson da Silva Nascimento foram autuados por roubo, receptação, tentativa de homicídio contra os policiais e resistência. Leandro da Silva foi ouvido pelas autoridades e disse já ter sido preso em 2017 pelo crime de posse ilegal de arma de fogo e corrupção de menor. Leandro ainda responde por dois homicídios e esteve preso durante oito meses.

Já Edson da Silva não prestou depoimento porque, conforme a PF, foi hospitalizado devido aos ferimentos quando foi atingido no confronto com policiais rodoviários federais. Leandro disse ainda não ter efetuado disparos contra os policiais.

A PF é responsável por investigar o crime porque, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) os suspeitos entraram em confronto com os agentes, não tendo obedecido as ordens de parada e, depois de 12 quilômetros de fuga e perseguição, disparado contra os policiais, que revidaram a agressão.

Além das prisões, consta o registro de apreensão de veículo, telefones celulares, armas, munições e um carregador de pistola. A Polícia pediu à Justiça Federal afastamento dos sigilos telefônicos.

Assalto

O refém Alexandre de Souza Santiago foi alvejado durante o tiroteio, e não resistiu aos ferimentos. A PRF informou ter sabido que se tratava de um refém quando realizou a identificação dos ocupantes do veículo. Alexandre havia sido feito refém pouco antes, em um assalto à carga, em um restaurante as margens da BR-116. O corpo do funcionário foi enterrado na tarde dessa terça-feira (20), no Cemitério Parque da Paz.

O outro refém baleado foi atingido por cinco disparos nas costas, conforme informações da Polícia Militar, e segue hospitalizado no Instituto Doutor José Frota (IJF). A PRF se pronunciou dizendo ter prestado socorro a todos os feridos e informou ter instaurado procedimento interno para apurar os fatos.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) disse que policiais civis da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC) investigavam um grupo responsável por cometer roubos de cargas, quando localizou o carro utilizado pelos criminosos, por meio das câmeras de videomonitoramento.

A Pasta destacou que os policiais civis fizeram acompanhamento do veículo à distância "e por ele estar trafegando, em uma rodovia federal passaram a informação para equipes da PRF, que interceptaram o veículo e tentaram realizar uma abordagem".

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança

Assuntos Relacionados