Cerca de 240 policiais militares vão atuar em áreas de maior incidência criminal em Fortaleza e RMF

Serão ao todo 61 equipes de Policiamento Especializado e atuação de 12 blitz em Fortaleza

Escrito por Redação ,
Policiais militares ao lado de viaturas
Legenda: Equipes vão atuar em locais com maior incidência de crimes violentos
Foto: Kid Jr.

Cerca de 240 policiais militares vão atuar em áreas de maior incidência criminal em Fortaleza e Região Metropolitana, após onda de violência no Ceará. Serão ao todo 61 equipes de Policiamento Especializado. Além disso, o governador Elmano de Freitas (PT) revelou ainda a atuação de 12 blitz na Capital. 

"Agora à noite, essa operação especial conta com 240 homens e mulheres e 61 viaturas. Neste momento, além dessa operação, estamos também com 12 blitze acontecendo em locais estratégicos de Fortaleza, distribuídas nas áreas onde os dados e as evidências apontam a maior possibilidade de atuação do crime. Portanto, para evitar a criminalidade e proteger o cidadão e a cidadã, a operação estará atuando em Fortaleza, Maracanaú e Caucaia, cidades que nós estamos olhando de maneira muito atenta", disse Elmano. 

Roberto Sá, titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), em entrevista à Rádio Verdinha, explicou sobre a estratégia das autoridades na escolha desses locais.

"Em momentos como esse que você identifica lugares e horários que o índice de criminalidade aumenta, é necessário aumentar seu contingente local para demonstrar a força do Estado, a presença do Estado, tranquilizar o cidadão e inibir a ação criminosa", revelou.

O secretário também explicou que, embora a onda de violência esteja presente no estado, essa decisão já era planejada. O Ceará registrou uma chacina em Viçosa do Ceará, com 8 mortes, e uma tentativa de chacina no bairro Barroso, em Fortaleza, além de uma série de homicídios ocorridos na última sexta-feira (21). 

Veja também

"Essas estratégias de saturar os locais de maior índice de criminalidade já tinham sido tomadas até antes desses episódios, o que esses episódios acabam provocando é que a gente reúna todos os esforços no sentido de encontrar imediatamente os autores de crimes tão bárbaros. Então, assim, há uma comoção, não só na sociedade, mas como também no próprio seio da polícia, que não tolera nenhum tipo de violência, ainda mais violência praticada contra inocentes", continuou.

Os agentes pertencem ao Complexo de Policiamento do Choque (CPChoque), ao Comando de Policiamento de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio), ao Comando de Policiamento Especializado (CTE), à Força-Tática e ao Comando de Prevenção e Apoio às Comunidades (Copac). 

Tentativa de chacina no Barroso

As investigações apontam que a tentativa de chacina tinha um alvo específico, que conseguiu sair do local momentos antes do crime, segundo o diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Ricardo Pinheiro. 

A principal linha de investigação é que o crime ocorreu após uma dissidência no grupo criminoso. “Houve uma dissidência, se retiraram do bairro e aí houve esse conflito entre esses grupos. Já tem esse histórico de conflito”, diz o delegado. 

Além do menino de 10 anos, uma mulher morreu na tentativa de chacina. Testemunhas contam que a vítima foi alvejada enquanto tentava defender as crianças. Outras oito crianças e adolescentes também ficaram feridos e foram socorridos.

Outros crimes na sexta-feira (21)

Apenas na última sexta-feira (21), tentativa de chacina e outros crimes foram registrados em Fortaleza e em Caucaia. Quatro homicídios – três na Capital e um na cidade da Região Metropolitana – aconteceram ao longo da noite.  

Os casos ocorreram no bairro Araturi, em Caucaia; nos bairros Barroso, Mondubim e Siqueira, em Fortaleza. 

Duas pessoas foram presas por porte ilegal de arma de fogo, sendo uma em Messejana e outra no Parque Santa Rosa.   

Chacina em Viçosa do Ceará

Oito pessoas morreram e uma ficou ferida na chacina registrada no município de Viçosa do Ceará, na madrugada de quinta-feira (20). O caso foi na Praça Clóvis Beviláqua, no Centro da Cidade.  

As vítimas estavam em um bar, ao lado da praça, quando os suspeitos chegaram de carro e motocicletas no local. Os atiradores teriam retirado as vítimas do estabelecimento e colocado o grupo enfileirado na praça. Em seguida, dispararam contra nove pessoas.   

Os destaques das últimas 24h resumidos em até 8 minutos de leitura.
Assuntos Relacionados