Juazeiro do Norte se torna a terceira cidade cearense a atingir os 10 mil casos de Covid-19

Além da cidade do Cariri, Sobral, na região Norte, e Fortaleza, também já passam dos 10 mil casos confirmados da doença

O Hospital Regional do Cariri terá mais 29 leitos para Covid FOTO: RAQUEL OLIVEIRA
Legenda: Segundo o IntegraSUS, a taxa de ocupação de leitos de UTI na cidade é de 81,32%, enquanto a ocupação das enfermarias é de 52,54%.
Foto: Raquel de Oliveira

O município de Juazeiro do Norte, no Cariri, chegou aos 10.093 casos confirmados do novo coronavírus, segundo boletim da Prefeitura, desta terça-feira (28). Com isso, o Ceará passa a ter três cidades com mais de 10 mil casos confirmados da doença - Fortaleza (41.658) e Sobral (10.209). Seguindo decretos municipais, Juazeiro do Norte, assim como Crato, Barbalha e Brejo Santo, permanecem em ‘lockdown’ pelo menos até o fim da semana.

Juazeiro do Norte já registra 217 óbitos e 44 casos suspeitos do novo coronavírus. Um total de 74 pessoas estão hospitalizadas e 3.870 pessoas seguem em isolamento domiciliar. Felizmente, 5.932 pacientes se recuperaram. A situação preocupa, principalmente, pela baixa adesão da população ao isolamento. No início da pandemia, o fluxo de veículos na cidade chegou a cair 70%. Hoje, a queda é de apenas 25%.

Juazeiro do Norte é o município do Sul do Estado com mais casos confirmados. A macrorregião de Saúde é o atual epicentro da doeça. Por conta da situação epidemiológica, as cidades caririenses seguem na Fase de Transição econômica. Os dados foram coletados em boletins diários divulgados pelas Prefeituras, nos casos de Juazeiro do Norte e Sobral, e na plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde (Sesa) do Ceará, para a situação na Capital.

Situação epidemiológica

Evanusia de Lima, diretora de vigilância e saúde de Juazeiro do Norte, ressalta que passar dos 10 mil casos era uma situação esperada, dado o tamanho da população (mais de 270 mil habitantes). “Estamos percebendo um decréscimo dos casos confirmados. Isso é muito positivo porque a gente percebe uma tomada de decisão acertada em relação à captação do paciente juntamente com o aumento da testagem”, ressalta.

Apesar da redução na média móvel de casos confirmados e de óbitos pelo coronavírus no Município, o índice permanece alto. O valor é calculado a partir dos casos ou mortes registrados nos últimos sete dias. Segundo Lima, há duas semanas (14 dias), a média era de 263 casos confirmados por dia. Uma semana depois, o número caiu para 210 casos por dia - o que representa uma redução de 25%.

O número de óbitos também caiu de quatro registros diários para três mortes ocasionadas pelo novo coronavírus a cada 24 horas. A baixa representa uma redução percentual de 33%. A representante atribui a redução nos indicadores ao diagnóstico precoce e manejo clínico adequado dos pacientes. Nos casos graves, geralmente em pessoas com comorbidades ou com idade avançada, o procedimento é realizado logo no início dos sintomas evita complicações.

  • Média móvel: total de casos ou mortes dos últimos sete dias;

Mesmo com a melhora nos indicadores, Lima pondera que o Município “não está em estabilidade”. “É preciso cuidado para que não haja um novo aumento da incidência. O número está caindo por conta da menor exposição e da testagem, que aumentou, mas, não quer dizer que esteja na hora de relaxar. Essa estabilização vai depender do comportamento da população e da adesão ou não do isolamento social”.

  • Segundo o IntegraSUS, a incidência da doença no Município é de 2.702,78 para cada 100 mil habitantes, maior do que a média estadual, de 1.860,9.
  •  A taxa de ocupação de leitos de UTI na cidade é de 81,32%, enquanto a ocupação das enfermarias é de 52,54%.

Na avaliação de Sayonara Cidade, presidente do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Ceará (Cosems), embora o Cariri seja o atual foco da doença no Ceará, a ampliação de leitos na macrorregião de Saúde e envio de insumos fez com que a situação não se tornasse tão crítica. “O governo agiu rápido nessa estruturação”, ressalta. Conforme ela, isso faz com que, mesmo com número de casos alto, a estrutura de saúde não esteja em colapso.

Letalidade (IntegraSUS)

  • Ceará: 4.6;
  • Fortaleza: 8.9;
  • Sobral: 2.92;
  • Juazeiro do Norte: 2.92.

Taxa de transmissão segundo região de saúde (IntegraSUS):

  • Litoral Leste e Jaguaribe: 0,95;
  • Sertão Central: 0,95;
  • Cariri: 0,88;
  • Sobral: 0,81;
  • Fortaleza: 0,79.
  1. Entre 0,0 e 0,5: Baixa Transmissão
  2. Entre 0,5 e 1,0: Média Transmissão
  3. Acima de 1,0: Alta Transmissão