Guaramiranga amplia testes e fiscalização mesmo com 100% da população vacinada contra Covid

Entrada de visitantes sem hospedagem reservada continua proibida na primeira cidade do Ceará a vacinar todos os moradores adultos

Barreiras sanitárias Guaramiranga
Legenda: Barreiras sanitárias na entrada de Guaramiranga, em maio de 2020
Foto: Divulgação/Prefeitura de Guaramiranga

O município de Guaramiranga, no Ceará, deve intensificar a testagem de moradores e turistas, nas próximas semanas. Barreiras sanitárias e fiscalização também seguem ativas, mesmo após 100% da população ter recebido a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

Todos os que buscarem a segunda dose da imunização, a partir de segunda-feira (12), passarão por testagem RT-PCR. A medida faz parte do monitoramento iniciado na cidade para checar a resposta imune à primeira aplicação.

Funcionários de hotéis, pousadas, restaurantes e outros serviços que têm contato com viajantes também serão testados, para identificação de possíveis casos assintomáticos. A informação foi confirmada por Silvana Soares, secretária municipal de saúde.

Continuamos renovando nossos decretos semanalmente e mantemos as barreiras sanitárias, com o controle da entrada de pessoas, principalmente neste mês de julho".
Silvana Soares
Secretária de Saúde de Guaramiranga
 

As medidas são necessárias para manter a redução de casos e óbitos por Covid, já que a imunização completa da população só acontece após a segunda dose da vacinação.

“Temos uma equipe de fiscalização que reforça o uso da máscara, distanciamento e verifica se os estabelecimentos estão cumprindo os protocolos”, complementa Silvana.

De acordo com a secretária, serão feitos busca ativa, testagem e monitoramento de turistas que chegam a Guaramiranga, “para evitar possível transmissão de novas variantes”. A preocupação é ampliada pela chegada da variante delta ao Brasil.

“Há risco de adoecer mesmo vacinado”

Sayonara Cidade, presidente do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (​Cosems), orienta que moradores e gestão “tomem os mesmos cuidados de antes”, porque “existe o risco de adoecimento mesmo com a vacinação”.

“É claro que o município pode trabalhar numa flexibilização maior que os demais, com uma tranquilidade que os outros ainda não podem. Mas é preciso evitar pessoas de fora, porque o risco hoje é o vírus entrar de outra forma”, destaca.

865
casos e 5 mortes por Covid-19 foram confirmados em Guaramiranga desde o início da pandemia.

Entre março e abril, pico da segunda onda da pandemia no Ceará, o município chegou a confirmar uma média de 48 casos por semana epidemiológica. O período mais grave foi entre 11 e 17 de abril, quando 68 pessoas testaram positivo para o coronavírus.

Nos últimos 15 dias, período analisado pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) para flexibilização das atividades, Guaramiranga registrou apenas cinco casos confirmados de Covid: três no dia 26 de junho, e um nos dias 5 e 7 de julho. Nenhuma morte foi contabilizada.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará

Assuntos Relacionados