Guaramiranga começa a monitorar terça-feira (13) resposta imune contra a Covid em população vacinada

Durante 1 ano, a cidade será acompanhada para avaliar a efetividade em mais de 4 mil moradores, bem como a possível falha vacinal, como novos casos e óbitos

vacina guaramiranga
Legenda: O foco do monitoramento é mensurar o funcionamento da vacina no “mundo real”
Foto: Fernanda Aires

Após toda a população adulta de uma cidade ser vacinada contra a Covid, o que acontece na dinâmica da pandemia? Esse é um dos questionamentos a ser respondido com o monitoramento que ocorrerá em Guaramiranga, primeira cidade do Ceará a aplicar a 1ª dose em 100% da população adulta cadastrada. 

Na próxima terça-feira (13), as autoridades municipais de saúde junto à Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) começarão a análise da efetividade da aplicação que, dentre outros, irá monitorar se no pós-vacina ocorrerão casos e óbitos. O estudo se estenderá por, pelo menos, um ano. 

A eficácia das vacinas contra a Covid comprovadas cientificamente na fase de testes, e as evidências históricas de enfrentamento a outras doenças, demonstram que a imunização em larga escala é capaz de controlar a pandemia.

No estudo em Guaramiranga o foco é justamente esse: mensurar o funcionamento das vacinas da Covid, ou seja, a efetividade dos imunizantes, só que no “mundo real”, fora do ambiente lamboratorial onde ocorrem os testes para a elaboração dos imunizantes.

Monitoramento semelhante ao que acontecerá na cidade cearense já foi feito, nesta pandemia, em Serrana e em Botucatu, ambas cidades do interior de São Paulo. Na primeira, mais de 95% da população recebeu as duas doses da Coronavac e foi monitorada pelo Instituto Butantan. Na segunda, a análise foi sobre a efetividade da vacinação em massa com Astrazeneca

Em Guaramiranga, conforme a secretária municipal de Saúde, Silvana Soares, o objetivo estabelecido no monitoramento é avaliar o impacto da vacinação da Covid na redução de casos, ocorrências graves, internações e óbitos. Na cidade, segunda menor do Estado, receberam uma dose do imunizante 4.607 pessoas acima de 18 anos. 

Dentre os metas secundárias do estudo estão: 

  • Investigar a soroprevalência de anticorpos IgG e anticorpos neutralizantes anti-SARS-CoV-2 na população de Guaramiranga e acompanhar a soroconversão pós vacinal em uma subamostra do estudo.
  • Conhecer a distribuição da soroprevalência de IgG/neutralizantes anti-SARS-CoV-2, segundo características individuais e socioeconômicas.
  • Estimar o tempo de duração da presença de anticorpos e da resposta imune celular contra o SARS-CoV-2; 
  • Avaliar a efetividade de 1 dose da vacina para proteger contra Covid 19, pelos diferentes imunobiológicos aplicados;
  • Avaliar a efetividade das vacinas, após a vacinação completa (2 semanas após a dose 2) para as diferentes vacinas aplicadas;
  • Observar a ocorrência de casos e óbitos por Covid-19 em indivíduos previamente vacinados. 

Além disso, serão monitoradas a ocorrência de eventos adversos pós-vacina e investigado se os aspectos sociais e demográficos, as condições de saúde, as práticas de prevenção e exposições estão associados à prevalência de infecção pelo coronavírus. 

Vacinação concluída 

Guaramiranga concluiu no dia 27 de junho a vacinação de primeiras doses em toda a população adulta residente no município e cadastrada na plataforma Saúde Digital

vacina guaramiranga
Legenda: É fundamental os moradores tomarem a segunda dose e manterem as medidas de prevenção, mesmo após vacinados.
Foto: Fernanda Aires

Na ocasião, a secretária executiva de Vigilância e Regulação da Sesa, Magda Almeida, explicou que, com todos os adultos vacinados, a cidade passaria por esse acompanhamento junto com o Laboratório Central do Estado do Ceará (Lacen). 

Além disso, ela também enfatizou que é fundamental os moradores tomarem o reforço da vacina, bem como manterem as medidas de prevenção, mesmo após vacinados. 

Segundo a Sesa, o município foi escolhido para ser monitorado por estar dentro dos seguintes critérios:   

  1. População adulta inferior a 5.000 habitantes (IBGE);
  2. Percentual da população adulta cadastrada no Saúde Digital;
  3. Percentual da população adulta já vacinada.

Na cidade, desde o início da pandemia, segundo dados da Prefeitura, foram registrados 780 casos de Covid e cinco pessoas morreram em decorrência da doença.

No município, o hospital de pequeno porte tem um leito habilitado para Covid, mas pacientes graves, segundo a secretária da saúde, Silvana Soares, precisam ser transferidos para o Hospital de Campanha de Aracoiaba, para ou para as unidades de referência em Fortaleza.

“Nós temos também um Centro Covid que é um centro de coleta de material que funciona de segunda a sexta. Pacientes sintomáticos ou assintomáticos que tiveram contato com quem testou positivo, eles podem ir fazer a consulta com o médico e logo em seguida fazer exames”.
Silvana Soares
Secretária da Saúde

Eficácia X efetividade

No processo de desenvolvimento as vacinas passam por avaliação da eficácia, que é o resultado alcançado no ambiente controlado dos testes clínicos em laboratórios com grupos de voluntários. Já a efetividade, que será monitorada em Guaramiranga, é medida no "mundo real", quando a vacina é, de fato, aplicada na população. 

“É pra se ter noção de como se comporta fora do ambiente controlado”, acrescenta o biomédico e microbiologista Samuel Arruda. 

548 doses aplicadas
Em Guaramiranga, esta é a quantidade, até quinta-feira (8), de pessoas que tomaram a segunda dose da vacina contra a Covid. 

De acordo com ele, a vantagem de monitorar a cidade pós-vacina é que “é um ambiente mais diverso, onde você consegue trabalhar com o maior número de classes sociais, idades diferentes, cargas genéticas, então consegue diversificar mais o número de pessoas testadas, mais do que por exemplo, em um ensaio clínico. Que é um ambiente controlado e que acaba limitando mais a visão”. 

“Quando você faz esse tipo de teste, consegue ver como a vacina se comporta no ambiente real. Não só a vacina em si. Mas também a qualidade de aplicação da vacina, o transporte. Você consegue avaliar muito mais coisas do que em um ensaio clínico”. 
Samuel Arruda
Biomédico e microbiologista

Além disso, reforça, Guaramiranga é interessante por ser uma cidade de fluxo turístico na qual pode haver uma possível manutenção da circulação do vírus devido à circulação de visitantes. Assim sendo, o efeito da vacina se torna ainda mais evidente, já que a cidade não está isolada, garante ele. 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará