Bolsonaro diz que demitiu funcionários do Iphan após órgão interditar obra da Havan

Empresa pertence ao empresário bolsonarista Luciano Hang

Bolsonaro (PL) durante evento na Fiesp
Legenda: Bolsonaro (PL) durante evento na Fiesp disse ter demitido funcionários do Iphan após o órgão ter interditado a obra de construção de uma unidade das lojas Havan
Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quarta-feira (15) ter demitido funcionários do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) após o órgão federal ter interditado a obra de construção de uma unidade das lojas Havan. A empresa pertence ao empresário bolsonarista Luciano Hang.

A declaração foi dada durante o “Fórum Moderniza Brasil - Ambiente de Negócios”, realizado na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). No evento, Bolsonaro  falou a empresários sobre mudanças promovidas pelo governo federal em benefício a eles. 

“Tomei conhecimento que uma obra de uma pessoa conhecida, o Luciano Hang, estava fazendo mais uma loja, e apareceu um pedaço de azulejo nas escavações. Chegou o Iphan e interditou a obra. Liguei para o ministro da pasta e [perguntei]: que trem é esse? Porque não sou inteligente como meus ministros. O que é Iphan, com PH? Explicaram para mim, tomei conhecimento, ripei todo mundo do Iphan. Botei outro cara lá”, disse o presidente.

"O Iphan não dá mais dor de cabeça para a gente. E quando eu ripei o cara do Iphan o que teve, me desculpa aqui prezado Ciro [Nogueira, ministro da Casa Civil, que participava do evento] de político querendo uma indicação não estava no gibi. Daí eu vi realmente o que pode fazer o Iphan, tem um poder de barganha extraordinário. Vocês sabem o que acontece", acrescentou Bolsonaro.

A obra paralisada que Bolsonaro se referia fica na cidade de Rio Grande, no Rio Grande do Sul. A interrupção dos trabalhos ocorreu em dezembro de 2019, após o órgão ter encontrado material de interesse arqueológico no local da construção.