Caso Miguel: ex-patroa disse que 'simulou' apertar botão do elevador, segundo advogado

Detalhes do depoimento de Sari Corte ao delegado Ramon Teixeira foram divulgados por Pedro Avelino, advogado de defesa da primeira-dama de Tamandaré

Captura de tela
Legenda: Sari Corte ao sair da delegacia com seu advogado
Foto: Reprodução/TV Globo

O advogado de Sari Corte Real, Pedro Avelino, revelou, nesta terça-feira (30), parte do depoimento à polícia da ex-patroa de Mirtes Souza, mãe de Miguel Otávio, criança que morreu após cair de um prédio de luxo em Recife, no dia 2 de junho. As informações são do portal G1. 

Sari estava responsável pelo menino quando ele caiu do 9º andar do prédio. Ela e seu marido, Sérgio Hacker (PSB), prefeito de Tamandaré, prestaram depoimento nesta segunda-feira (29) na delegacia de Santo Amaro, sob tumultos do lado de fora.

De acordo com o advogado, Sari contou ao delegado Ramon Teixeira, que investiga o caso, que não apertou o botão do elevador como parece demonstrar as imagens da câmera de segurança, apenas "simulou" apertar o botão.

A primeira-dama de Tamandaré também contou, segundo Avelino, que a simulação seria uma forma de convencer Miguel a sair do elevador e que o menino teria feito isso outras seis vezes, entrando e saindo do ascensor. 

Além disso, o defensor contou que Sari afirmou que teria telefonado para Mirtes três vezes, mas que as chamadas teriam caído na caixa-postal. 

Sari prestou depoimento na delegacia de Santo Amaro na segunda-feira (29), que abriu às 5h50, cerca de duas horas antes do horário de abertura normal, atendendo à pedidos dos advogados da ex-patroa de Mirtes, que alegaram questões de segurança.