Cade aprova venda do Big Bompreço para o Carrefour

Há ainda algumas restrições na operação, entre elas será necessária a venda de algumas unidades de autosserviço

Escrito por Redação,

Negócios
Big
Legenda: Essa será a terceira vez, desde 2016, que as marcas Big e Bompreço passarão por mudanças
Foto: Divulgação

O Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a operação de venda do grupo Big para o Atacadão, afiliada brasileira do Grupo Carrefour, nesta quarta-feira (25). As informações são do jornal Valor.

No entanto, algumas restrições foram impostas no processo. Entre elas, será necessária a venda de algumas unidades de autosserviço do grupo Big. O Cade não divulgou quantas unidades serão vendidas.

Operação de R$ 7,5 bilhões

Essa operação, analisada pelo Cade, é a maior transação no varejo nacional, em valor, e consiste na aquisição da totalidade das ações de emissão do grupo Big Brasil pelo Atacadão por R$ 7,5 bilhões.

O negócio faz do Carrefour a segunda maior rede varejista da América Latina, atrás apenas da Walmex, operação do Walmart no México e em mais cinco países latinos.

Como ficam as lojas Big?

O Grupo BIG detém ativo imobiliário de 181 lojas (47% do total) e 38 propriedades adicionais, totalizando aproximadamente R$ 7 bilhões de valor imobiliário, de acordo com uma análise independente. O Carrefour Brasil planeja converter as unidades Maxxi em Atacadão e parte das lojas BIG e BIG Bompreço para Atacadão ou Sam's Club. As demais lojas serão convertidas para a bandeira de hipermercado Carrefour.

Na prática, são 386 lojas objeto de aquisição por parte do Atacadão. O Big, controlado pela gestora Advent e pelo Walmart e formado por sete marcas (Big, Big Bompreço, Nacional, Super bompreço, Sam’s Club, Todo Dia e Maxxi Atacado), concentrava as redes de supermercado e hipermercado que eram do Sonae, no Sul, e do Bompreço, no Nordeste.

Terceira mudança nas marcas Big e Bompreço

De 2016 para 2017, a empresa tirou o nome Big e passou a usar Walmart nas lojas no Sul. Em 2019, após vender a operação para a Advent, a marca voltou. Agora, novamente deixará de ser usada. No Nordeste, o grupo deve manter elementos da marca Carrefour junto com o nome Bompreço.

 

 

Assuntos Relacionados