Filosofia no Enem e os assuntos que mais caem na prova

Confira os temas nos quais você deve focar na reta final de estudos

Legenda: A dica é focar no que há de mais importante em cada período filosófico.
Foto: shutterstock

No primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcado para 21 de novembro, a prova de Ciências Humanas e Suas Tecnologias vai trazer questões de Filosofia, um tema que requer atenção do candidato, pela densidade dos conteúdos.

Como observa o educador Lineker Sampaio Luque, professor de Filosofia e Sociologia da Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Francisco Aristóteles de Sousa, nos últimos anos, as questões desta prova do Enem vêm sendo cada vez mais conteudistas. “Isso tem exigido dos estudantes atenção especial nessa disciplina, pois quase não é mais possível resolver as questões apenas com a interpretação do texto. Por isso, acredito que a prova de filosofia deste ano seguirá a tendência dos últimos anos”, opina o professor. 
 
Entre os temas que mais se repetem, de acordo com o educador, estão: Moral e teorias éticas; Filosofia política; Filosofia Antiga (pré-socráticos, Sócrates, Platão e Aristóteles); Filosofia Contemporânea; Filosofia Moderna (teoria do conhecimento); Filosofia medieval (Agostinho). 
 
Na filosofia contemporânea, autores como Heidegger, Wittgenstein, Hegel e Hannah Arendt desafiam a maioria dos alunos. “A dificuldade está no fato de serem mais próximos de nós, sendo mais complicada a visualização em sua generalidade ou mesmo de representar um conjunto homogêneo de pensamento, já que os problemas e respostas são distintos e diversos”, explica Lineker Sampaio. 
 
Reta final 

Com a proximidade da prova, a dica é focar em temas como os pré-socráticos (filósofos da natureza), na filosofia antiga, pois costumam ser bastante cobrados. “Chamo a atenção para os princípios originais do Universo (arché) para cada filósofo. E ainda os clássicos Sócrates, Platão e Aristóteles. Em filosofia medieval é corriqueiro cobrar Santo Agostinho. Depois, já na modernidade, eu destaco a teoria do conhecimento Racionalismo (Descartes), Empirismo (Hume e Locke) e Criticismo (Kant)”, pontua o professor. 
 
No campo da filosofia política, Maquiavel, os contratualistas (Hobbes, Rousseau e Locke), Montesquieu e a teoria dos três poderes devem se revisitados. “Por fim, destaco as teorias éticas kantiana, utilitarista, nietzschiana (niilismo), ética da razão comunicativa de Habermas, bem como o existencialismo”, acrescenta. 
 
Dicas do professor 

  • Foque no que há de mais importante em cada período.
  • Organize seus estudos por períodos, em cada um liste os principais filósofos e correntes, pois isso trará uma visão geral e características próprias de cada bloco.
  • Familiarize-se em associar um pensamento com um filósofo ou corrente filosófica.
  • Mapas mentais são uma ótima forma de internalização do conteúdo. “Indico criar o seu, com suas próprias palavras, com cores chamativas e muitas referências. Na internet existem vários modelos para inspiração”, sugere Lineker.
  • ​Durante a prova, leia com atenção o texto suporte e destaque as palavras ou expressões do mesmo que irá guiar na resposta de acordo com o comando.


Use a nota do Enem 
 
A Unifor preparou um ambiente especial para os alunos tirarem as principais dúvidas sobre o Enem. Por meio de cadastro no portal oficial do Vem Enem, os estudantes podem conferir apostilas, vídeos de professores, simulados e outros conteúdos para potencializar os resultados na prova, tudo de forma gratuita. 
 
Inclusive, o ingresso dos alunos na Unifor pode ser realizado com a nota obtida no Enem, o que facilita o acesso dos estudantes. Saiba mais em: https://www.unifor.br/enem 

 

Quero receber conteúdos exclusivos do EducaLab

Assuntos Relacionados