Escolas estaduais do Ceará iniciam aulas presenciais dentro do modelo híbrido

Maior parte das escolas optou por rodízio de alunos para conseguir envolver todos que optaram pelo formato híbrido

EEMTI Jenny Gomes
Legenda: Na escola Jenny Gomes, no bairro Aeroporto, as aulas presenciais já começaram no último dia 1º
Foto: Thiago Gadelha

A parcela presencial do modelo híbrido de ensino nas escolas estaduais no Ceará começará a partir desta segunda-feira (8) para turmas do terceiro ano do ensino médio em mais de 200 instituições de ensino. A partir da determinação do Governo Estadual, as escolas passaram a se adaptar aos protocolos de prevenção à Covid-19, como a capacidade máxima de 35% de alunos por sala. 

O modelo híbrido é uma opção válida para alunos, professores e instituições, que podem optar ou não pelo formato. 

Na EEMTI Visconde do Rio Branco, localizada no Centro da Capital, 75 alunos compõem o último ano escolar. Para seguir o formato híbrido, 90% dos estudantes estarão em um rodízio entre aulas remotas e presenciais, conforme os números pares e ímpares da chamada letiva. Na escola de tempo integral, a medida foi adotada por meio de reuniões entre direção, professores e pais. 

EEMTI Jenny Gomes
Legenda: Com apenas 35% da capacidade das salas, cerca de 10 a 12 alunos cumprem rodízio presencial entre as quatro turmas pré-universitárias da escola Jenny Gomes
Foto: Thiago Gadelha

Distanciamento social nas salas

“Na primeira semana, só vem os números pares e na outra, os números ímpares e assim sucessivamente. Dentro dessa separação, nós dividiremos os alunos em três salas, cada uma com até 12 alunos. Isso é necessário para que possamos assegurar o distanciamento social”, explica a diretora da instituição, Alnedi Costa Lima.

A forma presencial se dará por três dias da semana, nas segundas, quartas e quintas, para disciplinas consideradas críticas, como Matemática e Ciências da Natureza, conforme Alnedi. No intuito de cumprir as nove horas/aulas por dia, durante a manhã, os alunos que optaram pelo modelo híbrido permanecerão em aula presencial das 8h10 até às 11h45. Já durante a tarde, todos assistem à aula no formato remoto, que ocorre concomitantemente. 

Preocupação com o transporte público

“Optamos por não começarmos as aulas tão cedo, antes era às 7h20, para promover uma diminuição no fluxo de passageiros dentro dos terminais de ônibus da cidade, até por ser uma escola no Centro, grande parte dos estudantes se deslocam através da condução mesmo”, menciona Alnedi.

Os 10% restantes das turmas de terceiros anos optaram por permanecer em casa, assistindo aulas exclusivamente no modelo remoto. “São alunos que têm alguma comorbidade ou risco, como asmáticos e transplantados. Os estudantes não terão nenhum prejuízo, visto que faremos as gravações do ensino presencial e todas as avaliações ocorrerão pela internet”, coloca a diretora. 

Aldeni também reforça que a escola está preparada para receber os alunos de maneira segura, com aferição de temperatura, distanciamento social, uso obrigatório de máscara e disponibilização de álcool em gel. “Entre as aulas na escola, nós daremos um intervalo, uma sala por vez, para reforçar a higienização das mãos em pias disponibilizadas no local apenas para isso”.

Escola Jenny Gomes
Legenda: A escola Jenny Gomes estruturou-se para receber seus alunos na modalidade de ensino presencial
Foto: Thiago Gadelha

Aulas presenciais em escola do bairro Aeroporto

A parcela presencial das aulas híbridas já começou desde a última segunda-feira (1º) na EEMTI Jenny Gomes, no bairro Aeroporto. Com apenas 35% da capacidade das salas, cerca de 10 a 12 alunos cumprem rodízio presencial entre as quatro turmas pré-universitárias. “Cada uma das turmas - A, B, C e D - têm o grupo um, dois e três. Na segunda-feira, quem veio para aula foi o grupo um de cada turma. Na terça-feira, veio o grupo dois e assim sucessivamente”, detalha o diretor da escola de tempo integral, Marcos Bezerra.

Da mesma maneira que na EEMTI Visconde do Rio Branco, a parte presencial das aulas ocorre simultaneamente para os alunos que optaram pelo ensino remoto, apenas. No período da tarde, todos os estudantes iniciam as aulas remotas durante a tarde, a partir de 13h. 

“Pela manhã são cinco aulas presenciais para um grupo e os outros dois grupos assistem remotamente. Durante a tarde, todos assistem em casa, pela internet, mais quatro aulas para cumprir a carga horária de nove horas/aula por dia”, cita o diretor.

Conforme o gestor da escola integral, os alunos apenas lancham na instituição. O almoço fica por conta do aluno, em casa. “Quando o lanche está pronto, vai uma pessoa até a sala de aula e chama o professor, que leva os 12 alunos alunos ao refeitório. Nesse esquema, vai uma sala por vez para o refeitório. Não há intervalo”, diz.

Totens de álcool em gel foram disponibilizados na entrada da EEMTI Visconde do Rio Branco, no Centro de Fortaleza
Legenda: Totens de álcool em gel foram disponibilizados na entrada da EEMTI Visconde do Rio Branco, no Centro de Fortaleza
Foto: Arquivo pessoal

Expectativas e segurança

Aluna da escola, Nicole Bezerra, de 16 anos, está com altas expectativas para este ano letivo e preparativo para o Enem, já que, segundo a jovem, 2020 foi um ano atípico e de muitas dificuldades. “Nada substitui o contato aluno e professor no presencial. Mesmo com tantos esforços na nossa escola, não foi um ano bom, pois prejudicou o nosso lado tanto estudantil quanto emocional”, menciona. 

“Me sinto segura indo presencialmente pois sei que a escola está seguindo os protocolos sanitários recomendados”, reforça Nicole.

Retorno no Interior

Em Mulungu, no interior do Ceará, desde o ano passado, em virtude da suspensão das aulas presenciais, as aulas da Escola de Ensino Médio Professor Milton Façanha Abreu são transmitidas pela rádio comunitária da cidade, além da internet. Neste momento de retorno híbrido, dos 175 alunos pré-universitários, pelo menos 32, que moram próximo da sede escolar, devem voltar à frequência presencial a partir de segunda-feira, das 7h às 9h40. A decisão foi tomada pela direção em conjunto com os pais, em uma reunião.

Reunião entre direção da escola em Mulungu e pais determinou o retorno híbrido das aulas
Legenda: Reunião entre direção de escola em Mulungu e pais determinou o retorno híbrido das aulas
Foto: Arquivo pessoal

Os demais alunos permanecerão no ensino remoto, com aulas por rádio e pela internet, tendo em vista que vários precisam do transporte escolar, fornecido pelo município, que ainda permanece em aulas exclusivamente no formato remoto. 

“Em virtude do transporte escolar e da segurança sanitária, nós entendemos que o ensino híbrido será um reforço presencial do que foi visto no ensino remoto. Por enquanto, nós só vamos atender alguns alunos na sede, divididos em quatro salas por três dias na semana. Posteriormente, com a garantia da vacinação e do transporte, nós convidaremos os outros alunos”, cita o diretor da escola, Luiz de França Leitão Arruda.

O diretor salienta que segue as orientações sanitárias do Estado, com uso do álcool, uso obrigatório de máscara, aferição da temperatura, rodízio de desinfecção e o distanciamento social.

Quero receber conteúdos exclusivos do EducaLab