Enem não será adiado e somente 'minoria barulhenta' apoia a mudança, diz ministro da Educação

A primeira aplicação da prova está prevista para ocorrer no próximo domingo (17)

Legenda: Segundo o ministro da Educação, Milton Ribeiro, todos os "cuidados de biossegurança possíveis" serão adotados durante o exame
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom Agência Brasil

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, declarou que o Enem 2020 (Exame Nacional do Ensino Médio) não será adiado, em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

"Não vamos adiar o Enem. Primeiro porque tomamos todos os cuidados de biossegurança possíveis. Queremos dar tranquilidade para você que vai fazer a prova, assim como aconteceu no domingo, em menor proporção, claro, no exame da Fuvest (exame de vestibular da USP)", afirmou o ministro durante entrevista à CNN Brasil nesta terça (12).

Medidas de segurança garantidas

De acordo com Milton Ribeiro, o apelo para nova postergação do exame nacional vem sendo realizado por uma "minoria barulhenta". Porém, as medidas de segurança estão garantidas.

“Neste ano, colocamos muito mais recursos para alugarmos mais salas, para haver o distanciamento preconizado pelas autoridades sanitárias”, defendeu.

Segundo Ribeiro, um novo adiamento tende a ser prejudicial aos próprios estudantes. “É bom eu aproveitar essa oportunidade para dizer que um semestre a menos, se perdermos o Enem, vai atrapalhar toda a programação de acesso dos estudantes às escolas federais e públicas”, acrescentou.

Adiado pela pandemia

Tradicionalmente previsto para ocorrer em novembro, o Enem 2020 foi adiado para janeiro deste ano, devido à crise sanitária provocada pela pandemia. 

Candidatos, políticos e entidades estudantis, no entanto, reivindicam um novo adiamento da prova. No último dia 8, a Defensoria Pública da União pediu à Justiça Federal de São Paulo, em tutela de urgência, o adiamento do Enem.

As instituições apontam como justificativa para o pedido os riscos aos quais serão expostos os estudantes diante da chamada segunda onda de disseminação da doença no País. 

Na segunda-feira (11), o próprio diretor de Avaliação da Educação Básica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), general Carlos Roberto Pinto de Souza, morreu em decorrência da Covid-19, aos 59 anos. 

O Exame Nacional do Ensino Médio está agendado para ocorrer nos dias 17 e 24 de janeiro (versão impressa) e 31 de janeiro e 7 de fevereiro (versão digital). Ao todo, mais de 5,783 milhões de candidatos se inscreveram para participar do exame. 

Quero receber conteúdos exclusivos do EducaLab