As vantagens para o estudante que faz o Enem como 'treineiro'; confira relatos de sucesso

O quarto episódio do podcast "Isso Não Cai no Enem" conta histórias de quem há anos se prepara para o exame nacional

Mais de 592 mil participantes farão o próximo Enem como treineiros, segundo o Inep.
Legenda: Mais de 592 mil participantes farão o próximo Enem como treineiros, segundo o Inep.
Foto: Camila Lima

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) exige mais do que conhecimento, simplesmente. Para sair à frente dos adversários, é preciso ter foco e treinar como, de fato, um maratonista.

É por isso que, muitas vezes, candidatos começam cedo a enfrentar a maratona de provas, mesmo que a nota obtida não possa servir, ainda, para garantir vaga na universidade.

Os treineiros, como são chamados oficialmente, são participantes do Enem com menos de 18 anos de idade e que, apesar de não terem concluído o Ensino Médio, se dispõem a fazer o exame antes da hora para aprender macetes da prova e testar os próprios conhecimentos.

No quarto episódio do podcast “Isso Não Cai no Enem”, conduzido pela jornalista do EducaLab, Lígia Costa, as candidatas Elis Maria Silva, 17, Lorena Meliga, 21, e Vitória Garcia, 18, contam como a experiência de treinar ajuda a ter vantagem no Enem.

Ano passado, em 2019, foi a segunda vez que Elis fez o exame nacional. “Me surpreendi porque meu desempenho na redação foi muito superior em relação ao ano anterior. E eu senti que, dessa vez, eu tinha mais segurança do que na primeira”, observa a estudante. Nesta edição, quando sua nota pode, enfim, resultar em uma vaga no ensino superior, ela conta que tem concentrado esforços em aprender a controlar o tempo e o nervosismo na hora da prova.

“Estar em vantagem ou em desvantagem em relação aos concorrentes, acredito que seja algo bastante relativo. Isso porque muita gente se prepara durante o ano inteiro pra fazer a prova e, no dia, acaba se saindo mal por fatores que não tiveram nada a ver com o preparatório”, diz Elis, citando, como fatores, autocobrança e pressão familiar e social por bom desempenho.

Aprendendo a otimizar tempo

Tendo iniciado a preparação para o Enem ainda no nono ano, o último do ensino fundamental, Lorena desenvolveu técnicas próprias para controlar o tempo de prova. Estudante de cursinho pré-vestibular há três anos, ela ensina: “Na prova de Linguagens, por exemplo, você lê primeiro o comando pra depois ir pro texto. Na de Matemática, começar pelas mais fáceis. Isso em todas as áreas, na verdade. Começar pelas questões mais fáceis, ir pras médias, depois as difíceis. Não fazer tudo de uma vez”.

Quem também otimiza o tempo resolvendo antes as questões que considera mais fáceis é Vitória, aluna terceiranista de uma escola da rede estadual. “Sou boa em interpretar texto. Nas questões de português, química, também sou muito boa. História, nem se fala. Então, tiro de letra essas questões. E pra depois deixo as de matemática, física e outras matérias que são as que realmente pego mais pesado na hora de estudar, porque sei que vou ter dificuldade”, fala.

Treineiros

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mais de 592 mil participantes farão o próximo Enem como treineiros. Mas somente na versão impressa, visto que, nesta edição, o Enem Digital ainda não está disponível para treinar.

O que são podcasts?

O “Isso Não Cai no Enem” é um podcast produzido pelo EducaLab e realizado pelo Sistema Verdes Mares, com apoio do Governo do Ceará e da Universidade de Fortaleza. Está disponível nos principais agregadores de streaming. 

Podcasts são materiais entregues em formato de áudio, muito semelhantes a programas de rádio. Porém, a diferença é que este conteúdo fica disponível para que o ouvinte escute quando e onde quiser. Não é ao vivo. São produzidos sob demanda.

Quero receber conteúdos exclusivos do EducaLab