Piscina desaba em prédio de luxo do Espírito Santo, e local é evacuado; assista

Os escombros foram parar no meio das ruas que ficam no entorno do residencial, e a água saiu pela garagem

Piscina desaba no Espírito Santo
Legenda: A estrutura que cedeu tinha 25 metros e foi construída no ano de 2018 no edifício Parador, onde moram aproximadamente 270 pessoas
Foto: Reprodução

A piscina de um prédio de luxo localizado na Praia de Itaparica, em Vila Velha, no Espírito Santo, desabou sobre a garagem do edifício na noite da última quinta-feira (22). Niguém ficou ferido. As informações são do G1.

Logo após o fato, que aconteceu por volta das 22h, o local precisou ser evacuado, e parte da orla do bairro foi interditada pela Defesa Civil. 

Escombros

A estrutura que cedeu tinha 25 metros e foi construída no ano de 2018 no edifício Parador, onde moram aproximadamente 270 pessoas. Os escombros foram parar no meio das ruas que ficam no entorno do residencial, e a água saiu pela garagem. 

Moradores relataram ter escutado um "forte barulho" quando o fato aconteceu e um "cheiro muito forte de gás", porque ela era aquecida. Alguns deixaram as torres sem mesmo levar nada.

'Descemos rapidamente'

"Ouvimos um barulho muito grande. Imediatamente procuramos saber o que aconteceu. Fomos à varanda e vimos que saia muita água do prédio e descemos rapidamente, pegamos algumas coisas. Graças a Deus, não aconteceu nenhum problema maior", relatou o morador Ubiracy Fonseca ao G1.

A empresa Argo, que elaborou o edifício Argo no ano de 2018, informou que prestou e mantém a ajuda que as famílias precisam, além de colaborar com os órgãos e autoridades competentes.

Desocupação

Por meio de nota, a empresa explicou que, na última quinta-feira (22), a desocupação das duas torres foi uma medida preventiva orientada pela Defesa Civil, até que todas as avaliações necessárias fossem realizadas. 

Também segundo o comunicado, a Argo se prontificou de imediato em arcar com todos os custos dos moradores com hotel e afins, visando que essa situação seja vencida com o menor impacto possível.

Retorno

"A Defesa Civil emitiu parecer no sentido de que a estrutura da edificação não foi abalada pelo incidente, corroborando com o laudo emitido pelo engenheiro calculista, permitindo com isso o retorno dos moradores aos seus apartamentos.

O retorno acontecerá até terça-feira, a fim de resguardar a segurança dos moradores, evitando possíveis aglomerações e alto fluxo de prestadores de serviço nesse momento de pandemia. Nesse período, a Argo vai continuar a arcar com as despesas de hotel e afins", esclarece parte da nota.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil