Após saber de agressões, mãe de Henry Borel viajou sozinha com Dr. Jairinho

No dia seguinte ao relato da babá, Monique Medeiros viajou com o namorado para uma casa de praia durante o Carnaval

Monique Medeiros e Jairo Souza Santos Júnior, mãe e padastro de Henry Borel
Legenda: O casal foi preso temporariamente no dia 8 de abril suspeito de tentar atrapalhar as investigações da Polícia Civil
Foto: Agência Brasil

A professora Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, viajou com o namorado, o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (sem partido), no dia seguinte após ser avisada pela babá Thayna de Oliveira Ferreira que o filho foi agredido pelo político. A informação foi revelada durante o novo depoimento da funcionária à Polícia, e divulgada pelo jornal O Globo. 

Conforme a babá, o casal foi passar o feriado de Carnaval na casa de praia de Jairinho, em Mangaratiba, litoral do estado do Rio de Janeiro. 

Na declaração à Polícia, Thayna disse que mandou mensagens para Monique narrando, em tempo real, que Jairinho havia trancado Henry no quarto, aumentado o volume da televisão e que o garoto deixou o cômodo mancando e dizendo ter recebido “chutes” e “bandas” do padrasto, no dia 12 de fevereiro.

laudo
Legenda: Conversas de 12 de fevereiro entree Monique e Thayna, babá de Henry, mostram que a mãe sabia que o menino era agredido
Foto: Reprodução

A professora estava em um salão de beleza em um shopping a cinco minutos do condomínio onde morava, no bairro Jacarepaguá, mas demorou quase três horas para retornar ao apartamento.

A babá destacou ainda que Monique fez uma chamada de vídeo para o filho e que ele teria pontuado sobre as agressões que sofreu. O menino teria pedido à mãe que ela chegasse logo em casa. No entanto, mesmo com o apelo de Thayná e de Henry, na conversa que começou às 16h, Monique chegou em torno de 19h.

Henry e a funcionária estavam na brinquedoteca do prédio quando a professora retornou. Conforme Thayná, ela teria dito: “Nossa, eu vim rápido, ainda borrei minha unha. Me conta, Thayna, o que aconteceu?” A babá novamente relatou o que testemunhou e, durante a conversa, Henry teria confirmado com a cabeça que teria sido agredido por Jairinho. 

Após a conversa, a professora teria subido para o apartamento e buscado as malas da família, que iria viajar no dia seguinte para Mangaratiba durante o feriado de Carnaval. Ao descer, Monique ofereceu uma carona para funcionária. 

No dia 13 de fevereiro, Thayná relatou, no depoimento, ter estranhado ao ver vídeos postados por Monique em uma rede social em que aparecia ao lado de Jairinho e que o casal apresentava "estar bem um com outro, carinhosos". 

Conforme o jornal O Globo, antes de sair do Rio de Janeiro, o casal teria levado Henry, que estava mancando e reclamando de dores, ao Hospital Real D'Or, em Bangu, onde relataram que ele havia caído da cama no dia anterior. Na unidade hospitalar, foi realizado um exame de raio-x que constatou não haver lesões na perna do menino. Segundo a babá, ele só foi para Mangaratiba, encontrar a mãe e o padrasto, no último dia de viagem.

Henry Borel
Legenda: Dr. Jairinho é suspeito de espancar a criança de 4 anos
Foto: reprodução
 

IRMÃ DO VEREADOR SABIA DA SITUAÇÃO

Conforme o depoimento de Thayná, ela foi convocada pela irmã de Dr. Jairinho, Thalita Sousa, para ir ao escritório do advogado do casal depois da morte de Henry, no dia 8 de março.

Lá, Monique teria orientado que a babá falasse à Polícia Civil que não havia visto/escutado nada sobre maus tratos ao menino, e que ela excluísse as mensagens trocadas. Na ocasião, ela teria se sentido intimidada, porque Monique falou de forma impositiva.

Thayná admitiu á Polícia que mentiu no primeiro depoimento também por medo de Jairinho, já que sabia o que o vereador tinha feito com a criança. Ela explicou que temeu que o mesmo acontecesse com ela.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil