Vulcão de Fogo entra em erupção, na Guatemala; autoridades monitoram

Moradores ainda não foram retirados da área

Vulcão de Fogo, um dos três ativos na Guatemala, em fase eruptiva
Legenda: Erupção provocou a descida de material vulcânico incandescente
Foto: CONRED de El Rodeo y La Reina, Escuintla

Vulcão de Fogo, um dos três ativos na Guatemala, começou nesta quinta-feira (23) uma forte fase eruptiva, com explosões, expulsão de cinzas e avalanches de material incandescente. Até agora, não foi necessário fazer retiradas de moradores.

"A atividade que está sendo registrada neste momento corresponde ao início de uma erupção de caráter estromboliano [mistura de explosões e fluxos de lava], ou principalmente efusivo", disse o porta-voz do Instituto de Vulcanologia (Insivumeh), Emilio Barillas. 

A erupção provocou a descida de material vulcânico incandescente (fluxo piroclástico) de 6km de extensão, acrescentou o porta-voz. 

Vulcão do Fogo

Localizado entre as províncias de Escuintla, Sacatepéquez e Chimaltenango, o Vulcão do Fogo tem 3.763 metros de altitude e é um dos três gigantes ativos do território junto com Pacaya (sul) e Santiaguito (oeste). Fica 35 km ao sudoeste da capital do País, Cidade de Guatemala.

Vulcão de Fogo, na Guatemala, em fase eruptivva
Legenda: Autoridades estão verificando condições das comunidades do entorno do vulcão
Foto: Unidad de Prevención de Volcanes

Barillas explicou que a nova fase eruptiva é a mais forte registrada desde 3 de junho de 2018. Nesta data, uma potente erupção causou uma avalanche que arrasou a comunidade San Miguel Los Lotes e parte de uma estrada na localidade vizinha de Alotenango, deixando 215 mortos e um número similar de desaparecidos.

A Coordenadoria Nacional para a Redução de Desastres (Conred), entidade responsável pela Defesa Civil, informou a ocorrência de chuva de cinzas em Panimaché I e II, Morelia, El Porvenir, Santa Sofia e Sangre de Cristo no município de San Pedro Yepocapa, Chimaltenango, bem como na zona urbana da localidade situada nas encostas ocidentais do vulcão.

Erupção do vulcão na Guatemala é monitorada

Autoridades locais e lideranças comunitárias "estão monitorando" a erupção. "No momento, nenhum processo de retirada foi implementado, mas as autoridades territoriais mantêm as ações [de vigilância] nas áreas próximas", afirmou o porta-voz da Conred, David de León.

O prefeito da cidade de Escuintla, Abraham Rivera, pediu aos moradores das áreas próximas ao vulcão que evitem se aproximar das áreas por onde descem os fluxos piroclásticos. Ele ainda alertou para o risco de que as chuvas complicassem a situação pela possibilidade de fluxo de lama, que poderia isolar várias aldeias.

Tragédia em 2018

Em 11 de setembro, o Instituto Nacional de Ciências Forenses da Guatemala (Inacif) entregou às famílias os restos mortais identificados de 14 pessoas soterradas durante a erupção do vulcão do Fogo em 2018.

O Inacif ainda não identificou 137 fragmentos de ossos humanos recuperados nessa tragédia. Segundo as autoridades, o processo é difícil, porque o calor destruiu material genético vital.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo