Protótipo de foguete da SpaceX explode minutos após o pouso nos Estados Unidos

Aterrissagem foi bem-sucedida, mas aparelho pegou fogo em terra

Protótipo da SpaceX
Legenda: A nave chegou a alcançar altitude de dez quilômetros antes de iniciar sua descida na vertical e conseguiu pousar no local indicado sem problemas visíveis.
Foto: SpaceX/AFP

Depois de dois antecessores não conseguirem pouso bem-sucedido, um protótipo do futuro foguete gigante Starship, da empresa SpaceX, conseguiu pousar no Texas nesta quarta-feira (3). No entanto, a nave explodiu minutos após tocar o solo.

O fundador da SpaceX, Elon Musk, celebrou a aterrissagem em uma mensagem no Twitter. "A nave espacial SN10 aterrissou inteira!" , comemorou, destacando que a equipe estava fazendo um grande trabalho. "Um dia, a verdadeira medida de êxito será que os voos da Starship serão algo comum", completou o empresário. Em vídeo que transmitia o voo de testes ao vivo, a empresa classificou o pouso como uma "aterrissagem magnífica".

Contudo, chamas foram observadas na base da nave, combatidas pela equipe em terra. Poucos minutos depois, uma grande explosão fez com que o foguete subisse novamente e caísse no chão, totalmente destruído. O aparelho é a opção da SpaceX para viagens a Marte.

O que é o protótipo da SpaceX

O protótipo, identificado como SN10 (Serial Number 10), havia decolado às 20h20 de Brasília (23H20 GMT) de Boca Chica, no Texas, para seu terceiro voo de testes suborbitais. A decolagem foi impulsionada por três motores, e a nave virou para voar na posição horizontal posteriormente.

A nave chegou a alcançar altitude de dez quilômetros antes de iniciar sua descida na vertical e conseguiu pousar no local indicado sem problemas visíveis.

Outros dois protótipos, o SN8 e o SN9, explodiram durante a aterrissagem em dezembro e no início de fevereiro.

Os testes são realizados em uma região quase deserta arrendada pela SpaceX no extremo sul do Texas, perto do México e às margens do Golfo do México. Sem moradores, a área é suficientemente ampla para não causar danos ou vítimas em caso de explosões.

Musk imagina que algum dia poderá lançar várias naves à conquista de Marte. No entanto, em um primeiro momento e se for operacional, a princípio o foguete serviria para voos mais curtos, especialmente para a Lua.

O bilionário japonês Yasaku Maezawa voará em um destes aparelhos, teoricamente em 2023. O preço do voo é confidencial. Em sua conta no Twitter, Maezawa convidou, na quarta-feira, oito pessoas "do mundo inteiro" a acompanhá-lo. Os interessados deverão se candidatar até 14 de março em uma primeira seleção, que será feita uma semana depois.

O futuro foguete, que incluirá uma cápsula tripulada, terá 120 metros de altura e será capaz de transportar uma carga de 100 toneladas.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo