OMS alerta para alta global em casos e mortes por Covid-19

Tedros Adhanom defendeu medidas combinadas para conter avanço do novo coronavírus

Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus
Legenda: Aumento de casos ocorre apesar de mais de 780 milhões de doses de vacinas terem sido administradas ao redor do planeta.
Foto: Christopher Black/OMS/AFP

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, chegou atenção, nesta segunda-feira (12), para o aumento recente nos casos e mortes por Covid-19 durante entrevista coletiva virtual. Ele ainda comentou que a entidade não defende "lockdowns sem fim", mas medidas combinadas, "adequadas e ágeis" para conter o problema.

Ghebreyesus lembrou que houve recuo nos casos do vírus pelo mundo entre janeiro e fevereiro, num período de seis semanas seguidas. "Nós temos agora sete semanas seguidas de alta nos casos, e quatro semanas de avanço das mortes", atestou, citando "grandes aumentos" nos registros em vários países da Ásia e do Oriente Médio.



A autoridade da OMS ressaltou que o aumento de casos ocorre apesar de mais de 780 milhões de doses de vacinas terem sido administradas globalmente. "Não se enganem. As vacinas contra a Covid-19 são um instrumento vital e poderoso, mas não são o único instrumento", advertiu, defendendo, também, medidas como o distanciamento social e o uso de máscaras para conter os contágios.

Conforme Adhanom, há "confusão, complacência e inconsistências em medidas de saúde pública e na aplicação delas", o que acarreta aumento da transmissão dos vírus e das mortes. "É preciso uma abordagem consistente, coordenada e abrangente", defendeu o diretor-geral da entidade. "A OMS não quer lockdowns sem fim. Os países que têm se saído melhor têm adotado uma combinação de ações sob medida, mensuradas, ágeis e baseadas em evidências", afirmou.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo