Grécia aplica multa para idosos que recusarem vacina contra Covid-19

Pessoas maiores 60 anos que não foram imunizadas contra a doença terão que desembolsar uma quantia mensal

idosa vacinada
Legenda: Nove em cada 10 mortes causadas pelo coronavírus no país são de pessoas na faixa etária
Foto: AFP

A Grécia implementou, nesta segunda-feira (17), a obrigatoriedade da vacina contra a Covid-19 em pessoas maiores de 60 anos. Os idosos que não tomaram o imunizante contra a doença terão que pagar uma multa de "100 euros por mês", o equivalente a R$ 627,99 (na cotação desta segunda-feira). 

A pena, anunciada na última quinta-feira (13), foi motivada porque "nove em cada dez mortes relacionadas ao coronavírus afetam essa faixa etária", explicou o porta-voz do governo, Yiannis Economou, ao anunciar a decisão.

"Sete de cada dez pessoas intubadas têm mais de 60 anos e oito em cada dez não estavam vacinadas", acrescentou.

No fim de novembro, o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, anunciou que a vacina contra a Covid-19 se tornaria obrigatória para os maiores de 60 anos, mas deu prazo de até domingo (16) para que a população se adequasse à medida.

Também na última quinta-feira, o ministro da Saúde, Thanos Plevris, informou que serão criados 50 centros para realizar testes perto dos acampamentos do Exército, para aliviar as farmácias que realizam os exames de PCR e antigênicos.

Avanço do coronavírus na Grécia

Segundo dados oficiais do fim de novembro, cerca de 67% da população grega estava vacinada. Entre os adultos, esse percentual chegava a 79%. A pandemia já matou mais de 21.600 pessoas na Grécia e a taxa de mortalidade aumentou consideravelmente desde o início de novembro.

Diante da persistência da variante Ômicron, as autoridades de Saúde da Grécia decidiram prorrogar em uma semana, até 23 de janeiro, as restrições impostas há 15 dias, como o fechamento de bares e restaurantes à meia-noite, a proibição de música e aglomerações.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo