Crianças de 5 a 11 anos devem ser vacinadas contra a Covid-19 nos Estados Unidos

Especialistas afirmam que imunizar esta faixa etária é essencial para ajudar a alcançar a imunidade da população

Profissional da Saúde vacinando criança
Legenda: O laboratório farmacêutico Pfizer solicitou a autorização para a aplicação do imunizante desenvolvido por ele nesta faixa etária
Foto: Shutterstock

Crianças de 5 a 11 anos devem começar a ser vacinadas contra a Covid-19 nos Estados Unidos a partir de novembro, anunciou o governo de Joe Biden na quarta-feira (20). Ao todo, mais de 28 milhões de pessoas poderão ser imunizadas no país. 

"Nossos esforços de planejamento significam que estaremos preparados para começar a aplicar vacinas nos dias posteriores a uma recomendação final dos Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC)", informou a Casa Branca, referindo-se à principal agência federal de saúde pública norte-americana. 

No início deste mês, o laboratório farmacêutico Pfizer solicitou a autorização para a aplicação do imunizante desenvolvido por ele nesta faixa etária, e a questão será debatida por dois painéis de especialistas.

O primeiro deles, convocado pelo órgão regulador de medicamentos e alimentos nos Estados Unidos, a FDA, reúne-se na próxima semana; e o segundo, convocado pelo CDC, em 2 e 3 de novembro. A expectativa é que a agência realize a recomendação pouco depois.

Durante um ensaio clínico, crianças de 5 a 11 anos receberam duas doses de 10 microgramas, em comparação com os 30 microgramas aplicados nos grupos de idade mais avançada. As injeções foram administradas com 21 dias de intervalo.

A vacina desenvolvida pela aliança Pfizer/BioNTech recebeu aprovação total da FDA para pessoas com idades a partir dos 16 anos. Em maio, a mesma agência autorizou o uso de emergência em adolescentes de 12 a 15 anos. 

Especialistas afirmam que vacinar crianças é essencial para ajudar a alcançar a imunidade da população contra a doença. Embora as crianças menores tenham menos probabilidade de desenvolver casos graves da doença causada pelo novo coronavírus, elas ainda podem ficar doentes e transmitir o vírus para o restante da população.  

No país, a confiança nas vacinas aumentou nos últimos meses. Até quarta-feira, 77,1% da população atualmente elegível, de 12 anos em diante, recebeu uma ou mais doses da vacina anticovid-19.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo