Suspeito de sete estupros é preso

Sete vítimas estiveram, na manhã de ontem, no 5ºDP (Parangaba) para fazer o reconhecimento do homem que teria praticado uma série de estupros nos bairros que compõem a Área Integrada de Segurança (AIS) 5. Conforme a Polícia, o borracheiro Antônio Cláudio Barbosa de Castro, 30, é morador do bairro Mondubim, mas procurava as mulheres que atacava, longe de sua residência, para não levantar suspeitas.

De acordo com o delegado titular da unidade, Renê Andrade, as investigações que apontam Castro como suspeito dos crimes, começou depois que uma grande quantidade de estupros foi denunciada. "Foram vários casos seguidos, em uma área pequena. As vítimas sempre contavam a mesma história e percebemos que o homem, que pilotava uma moto, modelo Fan, de cor preta, e usava uma faca para ameaçá-las, era o mesmo".

Segundo Renê Andrade, os trabalhos prosseguiram e os policiais conseguiram chegar à identidade do borracheiro. O delegado representou pela prisão preventiva dele e conseguiu prendê-lo temporariamente, na última sexta-feira (22). "Nosso esforço agora é em robustecer os inquéritos com a maior quantidade de provas possível e encaminhá-los à Justiça, pedindo que a prisão do Cláudio seja convertida em preventiva", afirmou o delegado titular do 5º DP.

Criança

Dentre as sete vítimas que reconheceram Cláudio Castro, está um criança de 11 anos e duas adolescentes, de 15 e 16 anos. As outras vítimas têm entre 25 e 33 anos. Os casos investigados aconteceram nos bairro Parangaba, Maraponga e Vila Pery, entre os dias sete de abril e 17 de julho deste ano.

"Todas elas reconheceram o suspeito com muita segurança. Elas contam detalhadamente o que ocorreu. O estupro é um crime de juízo traumático e com altíssima reprovação social. Acreditamos que outras mulheres possam ter sido vítimas e não tenham denunciado, ainda, por vergonha", disse o delegado.

A menina de 11 anos contou em seu depoimento, que ia para o reforço escolar quando foi atacada pelo agressor. Ela cita duas mulheres que flagraram a ação e tentaram lhe ajudar. A estudante disse ainda que, em certo momento, conseguiu tomar a faca do agressor e tentou esfaqueá-lo, mas ele se defendeu usando um capacete.

As duas adolescentes vitimadas estariam juntas, quando Cláudio Castro teria investido contra elas. "São depoimentos conscientes, muito difíceis de serem rebatidos. Mesmo percebendo que elas sofrem ao relatar o que aconteceu, são muito coerentes", afirmou o delegado Renê Andrade.

O suspeito nega todas as acusações e disse que o irmão dele é que tinha comportamentos estranhos e deveria ser a pessoa procurada. O homem apontado por ele como culpado foi chamado a comparecer na Delegacia. No entanto, ele não foi reconhecido por nenhuma das vítimas.

Após prestar depoimento, o suspeito foi levado para a Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), no Centro de Fortaleza. A transferência ocorreu para evitar agressões ao suspeito por parte de outros presos.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança