Sargento da PM e comparsa são suspeitos de agredir e quebrar dentes de homem no Interior do Ceará

Os suspeitos já tinham antecedentes criminais. A vítima desconhece o motivo das agressões

Escrito por Redação,

Segurança
A Polícia Militar foi acionada sobre a ocorrência, pelo hospital, e começou a busca pelos suspeitos, na região
Legenda: A Polícia Militar foi acionada sobre a ocorrência, pelo hospital, e começou a busca pelos suspeitos, na região
Foto: Divulgação/SSPDS

Um sargento da Polícia Militar do Ceará (PMCE) e um comparsa são suspeitos de agredirem fisicamente um homem, em um bar no Município de Porteiras (a cerca de 520 km de distância de Fortaleza), na Região Sul do Ceará, na tarde do último sábado (7). Os suspeitos já tinham antecedentes criminais.

Conforme documentos obtidos pelo Diário do Nordeste, a vítima registrou Boletim de Ocorrência (BO) na Delegacia Regional de Brejo Santo, da Polícia Civil do Ceará (PC-CE), no próprio sábado (7).

A vítima afirmou que estava em um bar, na zona rural de Porteiras, quando o sargento Fredisson Nóbrega de Azevedo e o jovem João Paulo Gomes de Morais chegaram ao local e começaram a agredi-lo, sem motivo conhecido.

Os socos proferidos pelos suspeitos teriam quebrado vários dentes e provocado lesões no braço direito do homem, que pediu socorro no local e foi levado ao hospital por populares.

A Polícia Militar foi acionada sobre a ocorrência, pelo hospital, e começou a busca pelos suspeitos, na região. Entretanto, até o fechamento desta matéria, nenhum suspeito havia sido preso pelas agressões.

Sargento tem histórico criminal

O sargento Fredisson Nóbrega é réu na Justiça Estadual em dois processos criminais e também de procedimentos administativos na Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD). Na 1ª Vara da Comarca de Brejo Santo, ele responde por disparo de arma de fogo, desde novembro de 2021; e por crimes militares (resistência mediante ameaça ou violência e desacato a superior), na Auditoria Militar do Ceará, desde agosto do mesmo ano.

Segundo as denúncias do Ministério Público do Ceará (MPCE), o PM efetuou disparos em via pública, em estado de embriaguez, em Brejo Santo, em fevereiro do ano passado. Policiais militares saíram em busca do suspeito e, ao encontrarem o colega de farda, foram desacatos e encontraram resistência à prisão em flagrante.

A defesa do PM se manifestou, em um processo, que "por destes mesmos fatos, ocorrido no mesmo tempo e espaço, com a mesma causa de pedir e pedido, e o envolvimento das mesmas partes, o investigado vem respondendo a várias ações penais simultâneas sobre igual apuração, indicando existência de Litispendência como questão prejudicial de mérito, que deste já suscita por eventual tema extinção processual".

João Paulo também já tem passagem pela Polícia. Ele foi detido em flagrante, junto de um comparsa, na posse de uma pistola 9mm, em uma abordagem policial em Porteiras, em janeiro de 2020.