Piloto solto por decisão da Justiça cearense entra com novo pedido para sair da lista da Interpol

Felipe Ramos Morais está solto há quase quatro meses, mas segundo a defesa dele, seu nome permanece na lista dos mais procurados da Interpol

Escrito por Redação, seguranca@svm.com.br

Segurança
crime piloto pcc
Legenda: Conforme a investigação, Felipe pilotava o helicóptero utilizado no atentado contra Gegê e Paca
Foto: Reprodução

O piloto Felipe Ramos Morais segue na tentativa para que seu nome seja retirado da lista dos mais procurados da Interpol (Polícia Internacional). Nesta sexta-feira (6), a defesa de Felipe, acusado de participar do duplo homicídio de Rogério Jeremias de Simone, o 'Gegê do Mangue', e Fabiano Alves de Sousa, o 'Paca', entrou com mandado de segurança no Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), solicitando sair da lista.

Na última segunda-feira (2), a advogada e mãe do piloto, Mariza Almeida Ramos Morais, já havia afirmado em petição que direcionada aos magistrados da Vara de Aquiraz que a manutenção do nome do filho na lista da Difusão Vermelha (Red Notice) "tem impossibilitado o requerente de toda ação civil", embora "não conste nenhum mandado de prisão em seu nome, o que deveria ser automático".

Felipe Ramos Morais está em liberdade há quase quatro meses, por decisão do Judiciário cearense. Na tarde desta sexta-feira, o TJ confirmou ter recebido o mandado de segurança e disse que o documento foi encaminhado para manifestação do Ministério Público. 

O piloto foi solto em medida liminar pelo Tribunal de Justiça do Ceará em 12 de abril deste ano, devido ao quadro de saúde debilitado de Felipe, que utiliza um balão intragástrico. 

Além disso, o acusado perdeu mais de 30 kg na prisão, por fazer greve de fome, utiliza medicamentos controlados e até tentou suicídio duas vezes em um presídio federal. O Ministério Público do Ceará (MPCE) chegou a pedir para o Judiciário rever a decisão de soltura, mas a liberdade foi mantida.

A defesa alega que o piloto firmou delação com o Ministério Público com relação aos fatos do duplo homicídio, e que o MP não teria cumprido o acordo. O órgão nega e diz que esta afirmação é infundada e sem provas. 

Acusação

O piloto é um dos réus pelas mortes das lideranças de uma facção criminosa paulista. Além dele, outras nove pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público do Ceará (MPCE) por envolvimento no duplo assassinato e associação criminosa, são eles:

  • Gilberto Aparecido dos Santos, o 'Fuminho' (preso);
  • André Luís da Costa Lopes, o 'Andrezinho da Baixada' (preso);
  • Jefte Ferreira Santos (preso);
  • Carlenilto Pereira Maltas (preso);
  • Erick Machado Santos (foragido);
  • Ronaldo Pereira Costa (foragido);
  • Tiago Lourenço de Sá Lima (foragido);
  • Renato Oliveira Mota (foragido);
  • Maria Jussara da Conceição Ferreira Santos (foragido).

Assuntos Relacionados