PF no Ceará investiga fraudes em benefícios da Previdência durante pandemia; advogado é alvo

Na manhã desta quinta-feira (25), foram cumpridos um mandado de prisão e quatro de busca e apreensão em endereços do advogado, nas cidade de Tauá e Catarina

Legenda: Os mandados foram cumpridos em endereços do advogado e expedidos pela 25ª Vara Federal Justiça Federal de Iguatu
Foto: Polícia Federal/Divulgação

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira (25) a Operação Fantasmas, a partir da qual foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão e um de prisão preventiva contra um advogado, nas cidades cearenses de Tauá e Catarina, na região do sertão dos Inhamuns. Ele, cujo nome não foi revelado, é investigado por supostas fraudes previdenciárias.

Os mandados foram cumpridos em endereços do advogado e expedidos pela 25ª Vara Federal Justiça Federal de Iguatu.  

De acordo com as investigações da Polícia Federal, o suspeito criou 17 pessoas físicas fantasmas para receber indevidamente o Benefício Assistencial ao Idoso (BPC), além de inserir informações falsas no CadÚnico.

Além disso, ele ainda recebeu o auxílio emergencial pago pelo Governo Federal, tendo em vista que estava com cadastros no CadUnico.

A execução do crime teve início ainda em 2018, com foco na tentativa de fraude ao Instituto Naciona do Seguro Social (INSS). A concessão do auxílio emergencial, portanto, foi mais uma oportunidade para que os criminosos usassem os documentos falsos. 

A polícia segue na linha de que há outras pessoas envolvidas, possivelmente funcionários de órgãos públicos e cartórios. Um dos cartórios investigados fica no municípo de Acopiara, no Centro-Sul do estado. 

As buscas foram acompanhadas por representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

 


Assuntos Relacionados