Líder religioso suspeito de cometer estupros por 'questões espirituais' é preso no interior do Ceará

Ele e outro homem são investigados por praticarem, pelo menos, sete crimes de estupro e estupro de vulnerável em Iracema, cidade do Vale do Jaguaribe

polícia civil prende líder religioso suspeito de estupros no interior do ceará
Legenda: As vítimas, sete mulheres – sendo três adolescentes – com idades entre 14 e 36 anos -, além de serem abusadas, foram ameaçadas e obrigadas a deixarem os pertences pessoais com o líder religioso
Foto: Divulgação/SSPDS

Um líder de um templo religioso e outro homem foram presos na manhã desta sexta-feira (30) em Iracema, no interior do Ceará suspeitos de praticarem, pelo menos sete crimes de estupro e estupro de vulnerável na cidade do Vale do Jaguaribe.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, as capturas, mediante cumprimento de mandado de prisões temporárias, são também pelos crimes de extorsão, ameaça e lesão corporal. Também foram cumpridos três mandados de busca e apreensão.

Segundo a Polícia Civil, que desencadeou a "Operação Corpo Fechado", os homens, com idades de 19 e 18 anos, abusavam das vítimas no local onde praticavam os encontros, alegando fazerem as ações criminosas por "questões espirituais".

Vítimas foram ameaçadas

Ainda conforme as investigações, as vítimas, sete mulheres – sendo três adolescentes – com idades entre 14 e 36 anos -, além de serem abusadas, foram ameaçadas e obrigadas a deixarem os pertences pessoais com o líder religioso.

Com isso, os policiais civis representaram pelas prisões temporárias dos dois homens, bem como na solicitação de mandados de buscas e apreensão no local que é alvo das apurações.

Procedimento

Com as decisões judiciais em mãos, as equipes foram até o templo religioso e prenderam os dois suspeitos, bem como apreenderam quatro celulares e um tablet. O material analisado.

A dupla foi conduzida à Delegacia Municipal de Iracema. De lá, eles foram levados para uma unidade prisional, onde ficarão à disposição do Poder Judiciário.

*O nome dos suspeitos não serão revelados com o objetivo de preservar a identificação das vítimas.

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança