Professor suspeito de estuprar cinco alunas em Graça, no Interior do Ceará, é preso

O docente que ministra aulas de música foi preso na zona rural de Pacujá, município vizinho, nesta quarta-feira (7)

Viatura da Delegacia Municipal de Pacujá
Legenda: Prisão foi efetuada por policiais da Delegacia Municipal de Pacujá
Foto: Reprodução

Um professor de música do município de Graça, no Interior do Ceará, foi preso nesta quarta-feira (7) por suspeita de estuprar cinco alunas entre 10 e 17 anos. Mandado de prisão preventiva foi expedido pela Comarca de Graça após denúncias de familiares das vítimas e solicitação do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE).

O suspeito de 43 anos foi capturado na comunidade Poço Verde, na zona rural de Mucambo, município vizinho. Conforme apurado com a Polícia Civil de Pacujá, que cumpriu o mandado, o professor foi encaminhado para uma penitenciária em Sobral. 

As vítimas são uma criança de 10 anos, três adolescentes de 13 anos e uma de 17. O Sistema Verdes Mares apurou com a Comarca de Graça que um inquérito policial foi instaurado depois que uma mãe denunciou o estupro da filha. 

Durante as investigações, foram identificadas mais quatro vítimas. Decisão judicial que decretou a prisão preventiva aponta que o primeiro caso aconteceu em agosto de 2020. Ainda serão investigadas as datas dos outros abusos. 

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou, nesta tarde, que a ocorrência ainda estava em andamento. Mais informações serão repassadas posteriormente.

Estupros aconteciam na escola

De acordo com o MPCE, o suspeito cometia os abusos contra as vítimas em salas afastadas na escola, onde não haviam câmeras.

A denúncia dá conta ainda que em alguns casos o professor chamava as meninas para sua casa, com a desculpa de oferecer aulas particulares.

O órgão aponta que solicitou o mandado de prisão "devido à alta possibilidade de o infrator esquivar-se da aplicação da lei penal". Desde que soube das investigações, o docente passada a residir em Mucambo, cidade vizinha a Graça.

Prefeitura de Graça apura caso

A Prefeitura de Graça, onde o professor é servidor, afirmou, em nota, que "irá em busca de mais informações a respeito do procedimento policial para que, dentro da esfera administrativa possa ser realizado as medidas cabíveis para abertura de procedimento administrativo disciplinar".

De acordo com o posicionamento, assinado por Antonio João de Morais Junior, chefe de gabinete da Prefeitura, o docente foi intimado ainda no ano passado a comparecer à Delegacia Municipal de Pacujá, "em razão da abertura de procedimento em relação a supostos abusos sexuais relatados ao Conselho Tutelar.

No entanto, o Executivo Municipal de Graça pontua que é necessário ter "precaução" e aguardar os detalhes do processo penal "para que não seja feto nenhum juízo de valor antes do oferecimento da denúncia". 

"Tão logo tenhamos todas as informações, assim como no âmbito judicial, na esfera administrativa será oportunizado ao servidor prazo para que apresente sua defesa escritA", diz nota.

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança