Homem tenta furar fila da vacina no Centro de Eventos, saca arma de fogo e causa confusão

Testemunhas relataram que ele teria se identificado como agente da Segurança Pública. Quando a Polícia Militar chegou ao local, o homem não foi localizado

Homem fura fila da vacinação contra Covid-19 e saca arma de fogo durante briga em Fortaleza
Legenda: A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informou que a situação foi controlada e a vacinação no local continuou normalmente
Foto: Reprodução/VC Repórter

Uma confusão foi registrada na manhã desta quarta-feira (24) no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza, durante a vacinação contra a Covid-19. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSPDS), um grupo se desentendeu porque uma pessoa teria tentado furar a fila para receber a dose do imunizante.

Um homem teria sacado uma arma de fogo durante o atrito, que foi filmado e compartilhado em redes sociais. Quando a Polícia Militar chegou ao local, segundo a pasta, ele não foi localizado.

Conforme a instituição, as vítimas foram orientadas a registrar um Boletim de Ocorrência (B.O) na Polícia Civil. 

Em nota, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informou que a situação foi controlada e a vacinação no local continuou normalmente.

Testemunha relata situação

Ao Diário do Nordeste, o técnico de telecomunicação Wansley Lima, que estava no Centro de Eventos durante a confusão, disse que o homem teria se identificado como agente da Segurança Pública.

Na ocasião, conta a testemunha, o homem estava junto a um rapaz e teria tentado furar a fila. Uma pessoa chamou um fiscal e falou que o rapaz que estava com o suposto agente passou na frente dos outros que estavam esperando para tomar o imunizante. 

O funcionário, relata Wansley Lima, perguntou a uma família se a situação de fato havia acontecido, e os parentes confirmaram. Logo após, o homem mandou que as pessoas provassem que ele furou a fila.

"Um cara fez um boomerang (recurso de vídeo usado nas redes sociais) para a namorada, pouco tempo antes, mostrando o local e provou que o homem tinha furado a fila", disse.

"O homem chutou o celular do cara, e o cara perguntou por que ele fez isso. O homem falou que era policial e que tinha livre acesso [a passar na frente dos outros], e aí iniciou a confusão. A mãe do cara jogou uma cadeira no homem, e ele jogou de volta. O homem saiu com a camisa rasgada e puxou a arma", relata o técnico de telecomunicações.

O caso é apurado pelo 26º Distrito Policial (DP), unidade que cobre a região do bairro Edson Queiroz, onde o fato aconteceu.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança