Homem é agredido e morto a tiros na Rua dos Tabajaras, em Fortaleza

Suspeitos de praticarem o crime na Praia de Iracema ainda não foram localizados

Policiais e viatura em frente ao prédio onde o crime aconteceu
Legenda: O crime ocorreu na noite dessa sexta-feira (15), na Praia de Iracema
Foto: Paulo Sadat

Um homem, ainda não identificado, foi agredido e morto a tiros na Rua dos Tabajaras, no bairro Praia de Iracema, em Fortaleza, na noite dessa sexta-feira (15).

Segundo policiais militares que atenderam a ocorrência, a vítima foi perseguida por alguns homens e agredida a pedradas, enquanto corria da comunidade do Poço da Draga em direção à Rua dos Tabajaras. 

Ao chegar à via, o homem tentou se proteger e rompeu a grade de um condomínio residencial. Contudo, acabou sendo capturado e morto com vários disparos de arma de fogo na cabeça. 

Motivação do crime

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) confirmou que o homem foi encontrado com "lesões provocadas por objeto contundente", além das "perfurações decorrentes de disparos de arma de fogo". 

Conforme a Secretaria, o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE) ainda está apurando sobre o que pode ter, de fato, motivado o crime.

"Uma equipe composta por profissionais da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) esteve no local, onde foram coletados indícios que subsidiarão as apurações", informou a Pasta.

Até a publicação desta matéria, os suspeitos de praticarem o crime não foram identificados e capturados.

Auxílio às investigações

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da SSPDS, ou para o Whatsapp (85) 3101-0181, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia.

As denúncias ainda podem ser encaminhadas para o telefone (85) 3257-4807, do DHPP, que também é o WhatsApp do Departamento. A Secretaria da Segurança Pública afirma garantir o sigilo e o anonimato.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança