Dois homens são presos com 1.272 munições e sob suspeita de abastecer facções

Dupla é suspeita de repassar o material para membros de facções criminosas

Legenda: Os policiais apreenderam 1.272 munições e chegaram até eles através de denúncias anônimas
Foto: Darley Melo

Uma operação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) prendeu dois homens, além de apreender munição de mais 1.272 itens em Fortaleza. As prisões e apreensões ocorreram na última sexta-feira (10), mas só foram divulgadas pela Draco na manhã desta terça-feira (14).

Um dos capturados era vigilante. A princípio, a Draco informou, em coletiva de imprensa, que o outro preso seria um policial militar aposentado, mas a informação é falsa, repassada pelo suspeito. A informação foi corrigida pela Secretaria da Segurança Pública (SSPDS) no fim da tarde desta terça-feira. 

A polícia agora vai investigar se os dois têm ligação com facções criminosas e se o material era repassado para os criminosos. 

Segundo o dlegado adjunto da Draco, Alceu Viana, o vigilante de 44 anos, foi preso no bairro Granja Lisboa enquanto o outro homem, no Bonsucesso. A munição era de calibres 12, 38, 380, 22 e 40.

Denúncias anônimas

Viana explicou que a polícia chegou a eles através de denúncias anônimas. Segundo elas, o vigilante repassava a munição para integrantes de facções criminosas. Com mandado em aberto, os policiais civis se dirigiram à residência dele.

No local, a polícia encontrou 200 munições. Ao ser questionado sobre a origem do material, o vigilante confessou para a polícia que tinha conseguido o material com o outro suspeito. Com a informação, os policiais foram à casa do apontado pelo primeiro capturado. Lá, os policiais civis encontraram mais de mil munições.

Ambos foram enquadrados no artigo 17 do estatuto do desarmamento e vão responder por comércio irregular de munição.