Cid Gomes chega a quartel em retroescavadeira e é atingido por dois tiros, em Sobral

O senador foi socorrido. Balas atingiram pulmão e clavícula.

Legenda: Cid Gomes é atingido por tiro em Sobral

O senador licenciado e ex-governador do Ceará Cid Gomes (PDT) foi atingido por dois tiros. O fato ocorreu no fim da tarde desta quarta-feira (19), em Sobral (Norte do Ceará). Cid estava em uma retroescavadeira tentando entrar em um quartel militar ocupado por homens mascarados. 

Segundo a irmã do político, Lia Gomes, Cid passa bem. O ex-governador chegou ao hospital consciente e está sedado para evitar sentir dores mais fortes. Ainda segundo ela, o parlamentar está com uma sonda para drenar o ar que entrou no pulmão quando a bala transfixou o órgão. Cid também está tomando antibióticos para evitar infecção. Os tiros foram disparados em meio a atos de policiais militares em todo o Estado.

Boletim médico divulgado pelo Hospital do Coração às 19h40 diz que Cid deu entrada na unidade e, "após atendimento, segue apresentando boa evolução clínica. Seu quadro cardíaco e neurológico não apresenta alteração. Neste momento o paciente encontra-se lúcido e respirando sem auxílio de aparelhos". O senador realizou tomografia na Santa Casa de Sobral, retornando depois para a UTI do Hospital do Coração, onde deve passar a noite em observação. 

Vídeo 1: momentos antes de Cid Gomes ser baleado em Sobral

> TEMPO REAL: acompanhe a cobertura dos atos

Investigação

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que as investigações a respeito do crime cometido contra Cid Gomes estão sob investigação do Núcleo de Homicídios da Delegacia Regional de Sobral da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). Coloca ainda que o senador foi ferido à bala por homens encapuzados amotinados no 3º Batalhão de Polícia Militar (3º BPM) em Sobral. 

Uma equipe do Grupo de Pronta Intervenção (GPI) da Polícia Federal, composta por agentes, peritos e papiloscopistas está se dirigindo à Sobral para auxiliar os trabalhos da Polícia Civil.  

Ciro se pronuncia

O irmão de Cid, Ciro Gomes, publicou em rede social que o senador "foi vitima de dois tiros de arma de fogo por parte de policiais militares amotinados e mascarados". Conforme Ciro, "as informações médicas são de que as balas não atingiram órgãos vitais apesar de terem mirado seu peito esquerdo". 

"Novos exames estão sendo feitos, mas a palavra aos familiares e amigos é de que Cid não corre risco de morte", informou Ciro.

Vídeo 2: Cid Gomes chega a quartel em retroescavadeira e é atingido por dois tiros, em Sobral

Em outro vídeo do momento, Cid Gomes discute com um dos policiais envolvidos, separados por uma grade. "(...) é ilegal. Vocês têm cinco minutos pra pegarem os seus parentes, as suas esposas e seus filhos e sair daqui em paz. Cinco minutos. Nem um a mais", diz Cid. O policial responde:"Você não tem autoridade pra fazer esse tipo de coisa. Me solte". Cid, então, responde: "E você está preso". Em seguida, o tumulto continua. 

Vídeo 3: Cid Gomes leva soco em conflito com manifestantes antes de ser baleado

Momentos antes, Cid Gomes postou stories em seu Instagram afirmando que iria a Sobral para "definir coletivamente uma estratégia para dar paz" à cidade.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou estar acompanhando "com preocupação" desdobramentos do ocorrido com o senador licenciado. 

Em nota, o Ministério da Justiça e Segurança Pública informou que está "analisando as providências que podem ser tomadas" diante da situação com o senador. "Já foram enviadas equipes da Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal para Sobral para garantir a segurança" de Cid, conforme o ministério.

Situação em Sobral

No município de Sobral, a 248 km de Fortaleza, 240 agentes de segurança que fazem parte da Unidade Integrada de Segurança (Uniseg) chegaram a parar, de acordo com apuração do Sistema Verdes Mares.

Homens encapuzados sentados nas janelas de viaturas mandaram comerciantes fecharem as portas durante a tarde, no Centro da cidade. Um vídeo mostra as viaturas passando, por volta de 14h, com homens fazendo gestos com os braços, indicando para baixarem as portas das lojas.