Mulher assiste a missa sentada em cadeira fora de igreja em Iguatu: 'como se estivesse lá dentro'

Ação ocorreu após entrada não ser permitida em razão dos protocolos sanitários contra a Covid-19

Mulher barrada em porta de igreja em Iguatu
Legenda: Regina Silva foi criada no catolicismo desde criança.
Foto: Wandenberg Belém

A historiadora Regina Silva, 36 anos, assistiu a uma missa de modo diferente em Iguatu neste sábado (17). Ao chegar à Catedral São José, no Centro do município, ela não teve a entrada permitida em razão dos protocolos sanitários contra a Covid-19. Mesmo barrada, ela não desistiu: ficou à porta da igreja acompanhando o evento religioso.

A decisão de ir ao templo se deu sem que ela soubesse da proibição, o que não foi problema para a mulher. "Eu vim determinada a assistir à missa, foi um chamado de Deus", frisou. Resoluta, Regina conseguiu uma cadeira de plástico com um membro da igreja e a usou para acompanhar a atividade religiosa.

"Tô tão bem espiritualmente, mesmo do lado de fora", avaliou ela, parecendo indiferente à situação. "É como se estivesse lá dentro".

Mulher sentada em cadeira na frente de igreja em Iguatu
Legenda: A fiel optou por acompanhar celebração religiosa a distância.
Foto: Wandenberg Belém

A historiadora explica que a ligação com a religião vem de família. A mãe dela, também muito católica, cantava em atividades religiosas, e a filha a acompanhava quando criança. O costume de ir a igreja, então, perdurou até hoje.

Mesmo com a fé inabalável, a situação é "estranha" para a mulher, que já estudou sobre outras pandemias ao longo da história. "Eu fico assim, revendo como foi antigamente, nós vivendo mais uma época de pandemia. Eu fico sem acreditar. É outra realidade da que a gente vivia antes".

Apesar disso, a fiel afirma que permanecerá no local até o fim da atividade religiosa, pois recebeu a informação de que o padre entregaria a comunhão através da grade. "E eu resolvi: vou assistir até o fim", garantiu.

Igrejas sem público

O governador Camilo Santana anunciou, neste sábado, a manutenção do decreto de isolamento social no Estado, que estabelece, também, outras medidas contra a Covid-19. O texto vigente permite que igrejas e templos religiosos funcionem com até 10% da capacidade dos locais, mas as atividades dos estabelecimentos, em maioria, devem ocorrer de modo virtual.

Em Fortaleza, as igrejas católicas seguem com celebrações transmitidas virtualmente "até segundo direcionamento", conforme a Arquidiocese da Capital. O bispo Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques determinou, no último dia 10 de abril, que as celebrações nas comunidades eclesiais católicas e os atendimentos pastorais continuassem acontecendo on-line. As orientações valem tanto para a semana quanto para os fins de semana.

A instituição católica de Fortaleza frisou, em nota, naquele mesmo período, que as atividades "seguem com os devidos protocolos mesmo nos dias e horários permitidos pelo atual decreto, até que possamos ter, ainda que com público reduzido, as celebrações presenciais também nos finais de semana, em que celebramos o Dia do Senhor, com mais segurança e estabilidade". 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará