Escola usa mototaxistas para entregar atividades a alunos sem acesso à internet no Interior

Em Carnaubal, segundo a direção, a média de alunos sem conexão chega a ser de 40%, índice que pode variar semanalmente.

Legenda: O serviço atende 40 alunos das comunidades São José, Olho D’água, Buriti; além dos bairros Beira Rio, São Luís e Cruzeiro. 
Foto: Foto: Arquivo Pessoal

A pandemia de Covid-19 mudou a realidade no ensino e, com isso, as escolas da rede pública do Ceará se adaptam à nova realidade. Os encontros virtuais vêm sendo a saída diante da impossibilidade de realizar as atividades presenciais. Porém, sem acesso à internet em casa ou com conexão limitada pelos contextos socioculturais, muitos estudantes enfrentam dificuldades para receber os conteúdos de forma virtual.

Neste contexto, a Escola de Ensino Médio em Tempo Integral (EEMTI) Antônio Raimundo de Melo, no município de Carnaubal, interior do Ceará, encontrou uma saída curiosa e eficaz para proporcionar o processo de ensino-aprendizagem de seus estudantes. Trata-se do ‘Delivery Armelo’, iniciativa que consiste na entrega de atividades impressas aos alunos que não podem participar dos encontros virtuais.

 

As entregas acontecem quinzenalmente e obedecem as normas de segurança para evitar a propagação do vírus, com os entregadores usando máscaras e álcool gel. O projeto funciona com um esquema de parceria entre os Professores Diretores de Turma (PDTs) da escola, pais de alunos e até mototaxistas da região. O serviço atende 40 alunos das comunidades São José, Olho D’água, Buriti; além dos bairros Beira Rio, São Luís e Cruzeiro. 

Desafio e Superação

Segundo a direção da escola, a média de estudantes sem conexão ou com serviço de internet limitado chega a ser de 40%, percentual que pode variar semanalmente. “Temos alunos que usam dados móveis e numa determinada semana tem acesso, na outra não”, explica a diretora da instituição, Ana Cláudia Oliveira. Apesar disso, sente que a situação vem melhorando: "Ao longo da ampliação do período de isolamento muitas famílias foram buscando saídas".

Para ela, isto revela a complexidade dos desafios encontrados no contexto educacional frente à pandemia. “Encontramos realidades diversas, desde falta de acesso à internet, internet de baixa qualidade ou o fato de não possuírem aparelho celular ou notebook. Tal constatação nos incomodou muito. Como chegar a esse aluno?”, lembra a diretora. 

Para o professor da área de Linguagens e diretor de turma, Janiel Sampaio, “desafio e superação” são as palavras que definem este momento. “Ninguém estava preparado, no entanto, estamos dando o nosso melhor. Há dias que fico de 9h a 12h sentado, produzindo conteúdo. Não somos profissionais formados em tecnologias, mas, atualmente, para atender as mais distintas demandas de nossos alunos, estamos nos reinventando”, frisa.

Legenda: O professor Janiel Sampaio, da área de Linguagens, destaca a importância do projeto, ao entregar as atividades ao aluno Fabrício.
Foto: Foto: Arquivo Pessoal

A ação será estendida também às turmas de Educação de jovens e Adultos (EJA). Com a experiência de sucesso do Delivery Armelo, a escola resolveu, ainda, desenvolver o Delivery Literário, onde os alunos receberão Obras Literárias "para que viajem no mundo da Leitura", pontua a diretora da instituição. 

Parceria

Na comunidade de São José, a direção da escola firmou uma parceria com um pai de estudante para não deixar os 18 alunos que lá residem sem atividades escolares. “Ele vem à sede do Município, recebe as atividades e faz a distribuição”, explica Ana Cláudia. “Logo que são concluídas, ele as recolhe e faz a devolução à escola, para correção e retorno dos professores, que passaram a produzir um material instrucional, baseado no livro didático, indicando o conteúdo e as páginas do livro”, observa.  

Em outras comunidades, professores diretores de turma ou mototaxistas realizam a entrega. Janiel Sampaio explica que a iniciativa partiu depois que a direção percebeu que alguns alunos não estavam participando das atividades virtuais da forma como se esperava. “Desde que o ensino remoto foi adotado, a escola desenvolveu estratégias de acompanhamento dos trabalhos. Em uma das reuniões pedagógicas, constatou-se uma constante de alunos que também não estavam dando retorno ou baixo retorno em todas as disciplinas", frisa.

"Neste momento, começamos a desenvolver um trabalho específico objetivando compreender as mais diversas situações em que nossos alunos se encontram”, conta o professor.

Como diretor de turma, Janiel está realizando as entregas e ressalta que “é quase palpável a gratidão destes alunos”. “Eles se sentem vistos, valorizados, reconhecidos em sua existência (para aqueles que possuem crises emocionais) e na importância da sua participação na vida escolar. Amo ver o sorriso largo, com olhos lacrimejantes, seguidos de “Estou com saudades da escola”, “Quando vamos voltar?”. É revigorante e motivador desempenhar este serviço de assistência aos nossos alunos”, conta o professor.

Para Ana Cláudia, a manutenção deste vínculo afetivo entre instituição e aluno é fundamental e precisa ser potencializado durante a pandemia. “Preocupados com os vínculos afetivos e o risco da evasão escolar em decorrência do distanciamento, passamos a realizar a campanha ‘Longe dos Olhos e Perto do Coração’, em que mandamos e recebemos mensagens de apoio emocional, além do TBT Armelo, que oferece espaço para postagens dos alunos de suas recordações na escola”, conclui a diretora.

Legenda: Maria Eduarda, da comunidade São José, faz parte do grupo de 40 estudantes atendidos com o "Delivery Armelo".
Foto: Foto: Arquivo Pessoal

Como Funciona o Delivery Armelo:

  1. O núcleo gestor da escola dá um prazo de adaptação do material produzido pelos professores nos ambientes virtuais para que estes possam ganhar mais objetividade e clareza diante da impossibilidade de “interação”;
  2. Uma vez colhido todo o material dos professores, acontece uma compactação do material em blocos por áreas de conhecimento e um outro bloco com atividades diferenciadas;
  3. Após a formatação, reestruturação e organização dos blocos com suas respectivas orientações, é estabelecido um agendamento para entrega do material. Há casos com parceria de pais, outros com a entrega feita pelos professores, e em outros há uma entrega por parte de mototaxistas.

Aulas Remotas

Com o isolamento social e proibição das aulas presenciais, a Secretaria da Educação (Seduc) e o Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Apeoc) lançaram, no final de março, um conjunto de diretrizes para subsidiar o processo de ensino a distância na rede pública estadual. O documento apresenta estratégias para o cumprimento da carga horária do trabalho escolar durante o isolamento e pontua as estratégias de ensino e acompanhamento remoto os professores. 

Entre as plataformas disponíveis pela Seduc estão o Aluno Online, Professor Online e o Google Classroom. “São aulas síncronas onde o aluno tira dúvidas, realiza atividades e recebe a explicação dos conteúdos”, comenta a diretora Ana Cláudia. “Reconhecemos todos os desafios do momento e nos reinventamos a cada dia, pautados na responsabilidade e compromisso que são marcas da Educação do Ceará”, afirma.