Cinco cidades do Ceará concentram 58,8% dos óbitos de Covid; confira a situação de cada Município

Fortaleza, Juazeiro do Norte, Sobral, Maracanaú e Caucaia respondem ainda por 40,7% de todas as infecções do Estado

Fachada do Hospital Regional do Cariri, Juazeiro do Norte.
Legenda: Juazeiro do Norte concentra hoje o segundo maior número de casos (18.038) e figura na terceira posição no ranking de óbitos pela Covid-19
Foto: Antônio Rodrigues

Cinco das 184 cidades cearenses concentram 58,8% de todas as mortes por decorrência do novo coronavírus. Quando observado a porcentagem de infectados pela Covid-19, nota-se uma sensível redução, embora ainda polarizada. Fortaleza, Juazeiro do Norte, Sobral, Maracanaú e Caucaia respondem por 172.027 dos 421.763 casos do Estado, o que representa 40,7% do total. Os dados são do IntegraSus, plataforma oficial da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), atualizada às 17h15 desta sexta-feira (26).

Essa alta concentração de casos reflete diretamente na capacidade dos municípios garantirem assistência adequada no sistema de saúde. Para evitar um iminente colapso dos leitos exclusivos para tratamento de pacientes da Covid - cenário que já ocorre em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) - gestores implantam medidas mais restritivas de circulação de pessoas e projetam expansão das vagas nos hospitais.

 

As ações objetivam evitar uma "grande onda de óbitos", prevista pela virologista, epidemiologista e professora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), Caroline Gurgel. 

"Caso nada seja feito urgentemente, em duas semanas vamos lamentar um grande número de mortes. Medidas rígidas têm que ser tomadas. Os hospitais estão chegando ao limite", alertou a especialista. 

Maracanaú: colapso do sistema de saúde

Esse limite ao qual a especialista se referiu já é realidade em Maracanaú. A diretora do Hospital Municipal, Crisitina Oliveira, confirma que todos os leitos de UTI e enfermaria "estão atualmente preenchidos".  A unidade dispõe de 38 leitos clínicos - dos quais 20 são mantidos pelo Município - e dez de UTI. 

"Contamos com duas unidades de apoio que recebem pacientes que estão à espera para transferência para esses leitos no Hospital Municipal, no entanto, nos aproximamos da totalidade. A UPA tem 20 pontos de oxigênio, dentre os quais 14 estão sendo utilizados. E a unidade de emergência do Hospital tem outros 10, sendo que oito estão preenchidos", descreve Cristina.

Diante do grave cenário, o Município conquistou a expansão de dez leitos de UTI, que devem ser abertos em até cinco dias, conforme antecipou Oliveira. "Esses serão custeados pelo governo do Estado e Federal. Além disso, estamos negociando com o governo do Estado a abertura de 30 leitos clínicos, previstos para abertura em 30 dias", completou. Ainda segundo a diretora da unidade, está em andamento "uma negociação com o hospital filantrópico da cidade para oferta de 20 leitos clínicos, a serem mantidos pelo Município". 

Caso essa expansão se concretize, Maracanaú passaria de 48 para 108 leitos ofertados, um aumento de 125%.

"Os leitos são muito importantes para salvarmos vidas, mas a população tem que cooperar. As pessoas precisam entender a gravidade do momento e seguirem as recomendações sanitárias. Se muita gente adoecer, não vai ter como contemplar todo mundo", considerou a diretora. 

Para tentar conter o avanço do vírus, o Município implantou barreiras sanitárias nas duas entradas da cidade. "Também estamos disponibilizando teste rápido nas unidades de saúde e temos equipes na rua fiscalizando o cumprimento do decreto estadual", concluiu.

Caucaia: Frota de ônibus reforçada e atendimento nas unidades estendido

Caucaia concentra o segundo maior número de óbitos (432) do Estado, atrás apenas de Fortaleza (4.715). Somente neste mês, foram 23 mortes por decorrência do novo coronavírus. Numa tentativa de frear esse aumento - que começou a se desenhar no início do ano - a Prefeitura reforçou em 25% a frota de ônibus. Questionada quantos ônibus estão atualmente em circulação, a assessoria não respondeu. 

O horário de atendimento nos Postos de Saúde de Cumbuco, Planalto e Tabuba serão estendidos até às 20 horas. O objetivo, segundo a assessoria do Município, "é reforçar a atenção primária à saúde e identificar os casos antes que eles se agravem e antes que as pessoas possam transmitir o vírus sem que saibam que estão infectadas".

Assim, como em Maracanaú, Caucaia também tem 100% de ocupação dos leitos de UTI no Hospital  Municipal Abelardo Gadelha da Rocha (HMAGR). O cenário, no entanto, é menos delicados devido a taxa dos leitos de enfermaria. No Municipal está em 72%. Já a UPA da Jurema tem 53% de taxa de ocupação e a UPA Centro, 36%.

"A Prefeitura de Caucaia aguarda a aprovação do Ministério da Saúde para abertura de mais cinco leitos de UTI", acrescentou a assessoria. 

Dentre as medidas restritivas, o Município segue com as barreiras sanitárias e "fiscalização nas ruas para conter aglomeração, e garantir o fechamento de atividades do comércio não essenciais após o horário estipulado no decreto". Quanto a vacinação, segundo a Secretaria da Saúde, "já foram aplicadas 90% das doses recebidas".

VACINÔMETRO NO CEARÁ | COVID-19

Juazeiro do Norte: Expansão de leitos clínicos

A maior cidade do interior cearense concentra hoje o segundo maior número de casos (18.041) e figura na quarta posição no ranking de óbitos (351) pela Covid-19. Do início do ano até o fim deste mês de fevereiro, foram quase mil novos casos confirmados. A tendência de elevação motivou o Município a expandir os leitos clínicos, ainda que a ocupação atual seja baixa.

Dos 30 leitos de enfermaria da Unidade de Combate à Covid, seis estão ocupados. No entanto, a secretária da Saúde do Município, Francimones Rolim Albuquerque, reconhece que "com a tendência de casos mais graves nesta segunda onda, é prudente antever um cenário mais delicado e expandir a oferta".

O Município abriu cinco leitos pediátricos e disponibilizou, na UPA do bairro Limoeiro, quatro leitos com ventilação mecânica. Além disso, projeto a abertura de 20 leitos de enfermaria no hospital municipal e incremento de mais 10 na Unidade de Combate.

Essa expansão dará aporte ao Hospital Regional do Cairi (HRC) que além de atender a população de Juazeiro do Norte, é referência para outras 40 cidades. Atualmente, dos 35 leitos de UTI, 31 estão ocupados (88,57%). Já a taxa de ocupação dos leitos de enfermaria está na capacidade máxima e, além disso, o leito extra aberto também está preenchido.

Fortaleza: Medidas rígidas e expansão de leitos

Dentre as cinco cidades com maior número de óbitos, Fortaleza teve o maior aumento percentual de óbitos entre 1º de fevereiro e 26 de fevereiro, com 5,4%. Em relação ao salto de novos casos, está ligeiramente atrás de Caucaia, que apresentou elevação de 13,6% no número de infectados enquanto a Capital cearense teve salto de 13,3%. 

Essa forte crescente nos casos reflete diretamente no estrangulamento das unidades de saúde. De acordo com o IntegraSus, a taxa geral de ocupação dos leitos de UTI em Fortaleza é de 93,14%. Para evitar o colapso, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) anunciou a ampliação do número de leitos, tanto de enfermaria como de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), exclusivos para tratamento da Covid-19.

"Para o mês de fevereiro estão previstos 170 novos leitos de observação em anexo à estrutura física das Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) municipais; 20 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Instituto Dr. José Frota (IJF) e 48 no Hospital e Maternidade Dra. Zilda Arns (Hospital da Mulher), entre enfermaria (40) e UTI (8). Além de 62 leitos de enfermaria no Frotinha de Messejana, que iniciará as atividades em março", elencou a Pasta.

As fiscalizações também foram reforçadas com equipes atuando 24 horas por dias. Somente em fevereiro, a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) já realizou 438 fiscalizações a estabelecimentos comerciais e logradouros públicos. Essas ações resultaram em:

  • 71 autuações;
  • 55 notificações;
  • 62 atividades ou eventos foram encerrados;
  • 59 estabelecimentos interditados pelo descumprimento dos decretos municipal e estadual

Com o toque de recolher, houve uma redução de cerca de 60% no fluxo de veículos entre o período de 22h e 5 horas somente na última semana. A especialista Caroline Gurgel avalia que, com a redução de circulação de pessoas nas ruas, "a tendência é que a taxa de transmissão também decline". 

Sobral: reabertura do hospital de campanha 

Na semana passada, Sobral reabriu o Hospital de campanha Dr. Francisco Alves, que esteva desativado desde o fim de novembro do ano passado. No entanto, a unidade já está próximo de sua capacidade máxima. Dos 15 leitos de UTI disponíveis, 13 estão preenchidos, e dos 35 de enfermaria, apenas dois estão vagos.

A assessoria do Município explica que por se tratar de uma unidade fixas, "não há margem para expansão de leitos". O reforço, contudo, deve ocorrer no Hospital Regional Norte (HRN) que hoje está com todos os 53 leitos de UTI preenchidos. 

"O Hospital Regional Norte (HRN) vai ganhar mais 40 leitos, isso já foi acordado mais cedo com o governo do Estado. A ampliação deve acontecer já no início de março. Também estamos pleiteando expansão na Santa Casa - cuja ocupação dos leitos de UTI está em 100% - e no próprio hospital de campanha", destacou a secretária da Saúde, Regina Carvalho.

A titular da Pasta acrescenta que uma comissão monitora a curva de novos casos e, através desses indicadores, o Município vai deliberar quanto a barreiras sanitárias e, em caso mais extremo, aplicação de lockdown.

Cinco cidades com maior número de infectados:

  1. Fortaleza: 118.244 em 26 de frevereiro e 104.361 em 1º de fevereiro - aumento de 13,3%
  2. Juazeiro: 18.038 em 26 de fevereiro e 17.774 em 1º de fevereiro - aumento de 1,4%
  3. Sobral: 14.964 em 26 de fevereiro e 14.309 em 1º de fevereiro - aumento de 4,5%
  4. Maracanaú: 10.310 em 26 de fevereiro e 9.612 em 1º de fevereiro - aumento de 7,2%
  5. Caucaia: 10.179 em 26 de fevereiro e 8.954 em 1º de fevereiro - aumento de 13,6%

Cinco cidades com maior número de óbitos:

  1. Fortaleza: 4.696 em 26 de fevereiro e 4.454 em 1º de fevereiro - aumento de 5,4%
  2. Caucaia: 431 em 26 de fevereiro e 409 em 1º de fevereiro - aumento de 5,3%
  3. Juazeiro: 351 em 26 de fevereiro e 339 em 1º de fevereiro - aumento de 3,5%
  4. Sobral: 343 em 26 de fevereiro e 333 em 1º de fevereiro - aumento de 3%
  5. Maracanaú: 274 em 26 de fevereiro e 268 em 1º de fevereiro - aumento de 2,2%

Governador anuncia novo decreto com medidas contra Covid

O governador Camilo Santana (PT) anunciou, nesta sexta-feira (26), a ampliação do toque de recolher e reduziu novamente o funcionamento das atividades consideradas não essenciais. A circulação de pessoas, que antes era proibida a partir das 22 horas, passa a ser às 20h. Já as empresas deverão fechar às 19h. As restrições valem a partir deste sábado (27) até o próximo dia 7 de março. 

As aulas presenciais em redes de ensino pública e privada continuam suspensas. O governador informou que dialoga com o setor para avaliar o retorno. Mas, por enquanto, afirmou, o ensino remoto está mantido. O novo decreto será publicado nesta sexta-feira (26), no Diário Oficial do Estado. As restrições buscam conter o avanço da segunda onda da pandemia de Covid-19 no Estado. 

Confira  quais as novas medidas anunciadas a partir deste sábado:

  • Toque de recolher entre 20h e 5h, de segunda a sexta-feira, e entre 19h e 5h aos sábados e domingos, com saídas permitidas somente em situação de comprovada necessidade;
  • Comércio de rua funciona de segunda a sexta-feira até as 17h. As outras atividades econômicas e as religiosas, até 19h. Serviços essenciais podem funcionar após esse horário. No sábado e domingo, restaurantes funcionam até as 15h, e outras atividades econômicas e religiosas até as 17h;
  • Espaços públicos continuam com circulação restrita todos os dias a partir das 17h;
  • Igrejas devem realizar suas atividades com até 30% de sua capacidade, e estimular as celebrações de forma virtual;
  •  Academias de ginástica devem funcionar com 30% de sua capacidade, devendo fazer o agendamento de horários para o devido cumprimento de todos os protocolos sanitários;
  •  Continua remoto o trabalho para servidores públicos, com exceção das atividades essenciais. Recomendação para a mesma medida junto ao setor privado;
  •  Seguem as barreiras sanitárias em Fortaleza, com recomendação para o controle por parte dos municípios no Interior.
Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará