Igor Queiroz: empresários precisam estar adaptados às novas tendências para atravessar a crise

O presidente do Conselho de Administração do Grupo Edson Queiroz falou sobre as perspectivas de mercado aos empresários da CDL Jovem

Igor Queiroz
Legenda: Igor Queiroz Barroso foi o convidado do segundo almoço do Ciclo 20 anos da CDL Jovem. Evento contou com a presença de Aline Felix Barroso
Foto: Thiago Gadelha

Os jovens empresários cearenses precisam estar atentos aos avanços tecnológicos e às mudanças dos modelos de trabalho para prosperar durante o período de reestruturação da economia por conta da crise do novo coronavírus. A perspectiva foi apresentada por Igor Queiroz Barroso, presidente do Conselho de Administração do Grupo Edson Queiroz, durante o segundo almoço empresarial do Ciclo 20 anos da CDL Jovem

Igor Queiroz comentou que os negócios cearenses precisarão se adaptar a essas novas categorias de gestão de tempo para dar os melhores resultados nos próximos anos. 

"Os novos desafios envolvem essa questão da gestão do tempo, as novas tecnologias, e o tempo é senhor de tudo. Os novos empresários precisam saber lidar com as novas formas de trabalho, se adaptar ao home office aliado às novas tecnologias. É preciso saber encarar os desafios e vencer os obstáculos. A vida nos ensina sobre isso".
Igor Queiroz Barroso
Presidente do Conselho de Administração do Grupo Edson Queiroz

"Ao longo de 30 anos, eu pude aprender muita coisa, mas é preciso estar preparado para se adaptar para vencer a dificuldade", completou Igor Queiroz.

O evento ainda contou com a presença de Aline Felix Barroso, ex-presidente da CDL Jovem na gestão do biênio 2002/2004.

Legenda: Igor Queiroz falou aos empresários da CDL Jovem
Foto: Thiago Gadelha

Aprendizado pelo exemplo

A perspectiva sobre a mudança como vetor de prosperidade nos negócios foi corroborada pelo presidente da CDL jovem, Roberto Leite. Ele comentou os impactos da pandemia sobre a atividade empresarial cearense e o cenário de incerteza gerado pela crise nos últimos dois anos. 

"Nosso maior desafio, hoje, é não saber muito do futuro. A incerteza é muito grande. O mercado está aquecido, mas não sabemos como serão as coisas daqui a três meses, então precisamos adaptar as estratégias a cada momento. O principal desafio é estar preparado a mudar toda hora, tendo formação e networking para superar esse momento de quase 2 anos de pandemia e restrições da economia", comentou Leite. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios