Fintechs ajudam a organizar as finanças e até a investir

Sites e aplicativos para smartphones facilitam a organização das despesas e das receitas pessoais

Escrito por Redação,

Negócios
Legenda: Hoje, a organização financeira vai além do papel e até mesmo das planilhas no computador

Quando se fala em dicas para poupar dinheiro, anotar os gastos e receitas em um caderninho é uma das recomendações mais ouvidas. Hoje, a organização financeira vai além do papel e até mesmo das planilhas no computador: existem aplicativos que facilitam a tarefa de economizar as finanças e até mesmo empresas que ajudam quem quer investir as economias.

São as fintechs - nome dado a empresas e startups que auxiliam na organização financeira por meio da tecnologia. E elas não se restringem apenas às atividades de poupar e investir. No Brasil e também no Ceará, as fintechs já atuam em diversos setores, como pagamentos, empréstimos e seguros.

Orçamento

Segundo o economista Alex Araújo, a maior parte dos aplicativos de finanças pessoais se baseia no processo de orçamento, isto é, no controle de receitas e despesas pessoais. "Para um usuário inicial, é essencial entender como se faz um orçamento e, para isso, existem muitas informações disponíveis na rede", explica. Como forma de auxiliar nessa tarefa, ele indica, primeiramente, uma visita ao Portal Brasil, site mantido pelo Governo Federal. "Ele oferece um curso básico de finanças e modelo de planilha eletrônica na área de 'economia e emprego'", indica.

Outros sites recomendados pelo economista são o do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e o da Comissão de Valores Mobiliários. "O site do Idec possui vasto conteúdo de educação financeira e consumo consciente e dispõe de planilha eletrônica de orçamento doméstico na pasta especial", aponta.

"No portal da Comissão de Valores Mobiliários, órgão público responsável pela fiscalização do mercado brasileiro de capitais, tem conteúdo gratuito de finanças pessoais, com aulas e material de apoio para o entendimento e elaboração de orçamentos domésticos", ressalta Alex.

Poupança

Para os interessados em gerir melhor as receitas e ver o dinheiro sobrar ao fim do ano, de acordo com o economista, os aplicativos mais populares que podem ajudar a controlar melhor as despesas são o GuiaBolso, MinhasEconomias, Mobills Gerenciador Financeiro e o Finance.

"Eles fazem o controle das despesas com a categorização dos gastos e permitem intercâmbio de informações com os bancos, facilitando a conciliação de dados", assinala.

Gastos

Alex Araújo lembra que a maioria dos cartões de crédito possui ferramentas em seus sites que permitem a categorização das despesas e o acompanhamento dos gastos, mas isso é restrito às despesas realizadas pelo cartão. Este é o caso do Nubank, empresa que oferece um cartão de crédito vinculado a um aplicativo através do qual o usuário pode acompanhar suas compras em uma espécie de timeline e pode adicionar categorias aos lugares onde fez compras, tags e até mesmo emojis.

Cearense

Outra fintech que auxilia no controle dos gastos é o aplicativo de finanças pessoais Mobills - mescla das palavras em inglês mobile (móvel) e bills (contas) -, cofundada em 2012 pelo cearense Carlos Terceiro, hoje CEO do negócio. O aplicativo permite que o usuário cadastre suas despesas e receitas e pode ser acessado por meio do computador, tablet ou smartphone.

Inicialmente, em 2012, o app foi desenvolvido apenas para smartphone com sistema operacional Android. A ideia, segundo Carlos, surgiu da necessidade do próprio criador: ele havia acabado de comprar um smartphone e passou a procurar por um aplicativo de finanças pessoais no intuito de trocar a planilha do Excel por algo mais prático.

"Na época, comecei a procurar um app pra fazer o controle financeiro. Sempre gostei dessa área de finanças e já trabalhava com programação. Eu não achei nenhum aplicativo que atendesse às minhas necessidades", explica. Foi aí que ele resolveu desenvolver e disponibilizar o aplicativo, que hoje já conta com 2 milhões de downloads e versões para iOS, Windows Phone, além da possibilidade de acesso por meio do computador.

Versões

Ele lembra que no começo, o app funcionava como uma planilha de Excel: bem simples. "Para a minha surpresa, houve alguns downloads e começou a crescer a demanda. Depois, eu lancei uma versão extra com algumas funcionalidades pagas e, para a minha surpresa mais uma vez, teve gente que pagou. Mas tudo ainda era meio que um hobby", explica Carlos.

Em 2014, o aplicativo tinha crescido consideravelmente em downloads e começava a gerar lucro. "Foi quando a gente pensou em tocar o projeto em tempo integral e tomamos a decisão de focar nisso. A gente abriu a empresa e, de lá pra cá, estamos crescendo", destaca.

Novas funcionalidades

Ele aponta ser de grande importância o retorno dado pelos usuários para que o aplicativo siga melhorando. "Todos os dias a gente trabalha para melhorar o Mobills, sempre ouvindo os feedbacks pra desenvolver novas funcionalidades", disse. Um dos próximos passos é, a partir de inteligência artificial, fazer com que o app dê dicas financeiras baseando-se nos dados do usuário. "Nossa maior cartela de clientes é no Brasil, mas já estamos em outros lugares do mundo, crescendo lá fora", frisa. O Mobills já teve instalações em 130 países, segundo o CEO da empresa.

Investimento

O site do Tesouro Direto possui uma área de orientação financeira, que, através de questionário, elabora um perfil do investidor (sensibilidade ao risco, objetivo do investimento e disposição para poupar). "São fornecidos vários elementos de comparação de rentabilidade de aplicações em renda fixa", explica Alex.

Apesar das recomendações, o economista Alex Araújo frisa que as dicas não dispensam a conversa com um especialista, como o gerente do banco ou um analista de investimentos, mas ajudam a compreender o mundo financeiro e esclarecem sobre os riscos básicos das diversas opções para se investir.

"A melhor proteção para um investimento seguro é a informação. E o poupador deve buscar conhecer o máximo que for possível sobre as opções de mercado e sobre o seu próprio perfil de risco", explica o economista.

Mais informações:

Aplicativo Mobills

Https://www.Mobills.Com.Br/