Chegada de novos empreendimentos deve movimentar economia na Monsenhor Tabosa

A inauguração de uma agência bancária e de um supermercado, prevista para setembro deste ano, além de gerar novos empregos, instigou outros empresários a investirem nas lojas que estavam desocupadas, de acordo com a Almont

Legenda: A Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Seuma) está desenvolvendo um estudo de situação que objetiva fazer um diagnóstico para saber o motivo da diminuição das vendas e do fechamento de algumas empresas nos últimos anos, além do que está faltando para melhorar
Foto: Foto: Divulgação

Considerado um dos polos comerciais mais importantes de Fortaleza, o Corredor Turístico e Cultural da Avenida Monsenhor Tabosa deve receber até o fim deste ano uma série de ações para movimentar a economia na região. A chegada de uma agência bancária e de um supermercado, prevista para setembro deste ano, além de gerar novos empregos, instigou outros empresários a investirem nas lojas que estavam desocupadas, de acordo com a Associação dos Lojistas da Monsenhor Tabosa (Almont).

Uma série de problemas contribuiu para que as vendas no Corredor Turístico e Cultural diminuíssem, diz a president da Almont, Márcia Oliveira: as obras realizadas pela Prefeitura de Fortaleza, a especulação imobiliária na época da Copa do Mundo, as perseguições de fiscais, que faziam com que os empresários fechassem as lojas mais cedo, e a crise econômica

"Mas a Monsenhor Tabosa está conseguindo se restabelecer. O mais importante é que o fortalezense volte a andar nela. Por causa da chegada de uma agência bancária e de um supermercado na avenida, muitos investidores estão querendo empreender aqui", afirma, ao listar 12 novas empresas que firmaram contrato entre junho e julho e que devem iniciar as atividades ainda neste ano.

Estudo

As obras de pavimentação, drenagem, urbanismo e paisagismo não foram suficientes para fazer com que cearenses e turistas voltassem a comprar como antes na avenida. Por isso, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Seuma) está desenvolvendo um estudo de situação que objetiva fazer um diagnóstico para saber o motivo da diminuição das vendas e do fechamento de algumas empresas nos últimos anos, além do que está faltando para melhorar. Ele será apresentado ao prefeito Roberto Cláudio e aos representantes do Fortaleza Competitiva durante este semestre, informou a Secretaria da Cultura de Fortaleza (Secultfor). 

O intuito, conforme a pasta, é propor mudanças e dar incentivos para que outras pessoas invistam nas lojas que estão fechadas atualmente. "Nós entendemos que a Monsenhor Tabosa é um local importante que liga a área cultural da cidade à Praia de Iracema. A pesquisa mostra que as concorrências nas áreas próximas fizeram com que as lojas de lá fechassem. Detalharemos ainda mais para basearmos as propostas e vermos o que houve de errado para acertarmos na proposta", destaca a secretária executiva da Secultfor, Paola Braga.