Vacinação: 255,9 mil idosos de 60 a 74 anos devem ser imunizados contra Covid-19 em Fortaleza

De acordo com a plataforma Saúde Digital, já estão cadastradas 7.954 pessoas com 74 anos, grupo que começa a ser vacinado segunda (22)

Escrito por Natali Carvalho, natali.carvalho@svm.com.br

Metro
Vacina
Legenda: De acordo com a plataforma Saúde Digital, 7.954 pessoas com 74 anos já estão cadastradas
Foto: Camila Lima

Com início da segunda fase da campanha de vacinação contra a Covid-19, que contempla idosos de 60 a 74 anos, a Prefeitura de Fortaleza estima que 255.917 pessoas sejam vacinadas. Segundo a plataforma Saúde Digital, 7.954 pessoas com 74 anos já estão cadastradas.

Até o momento, 170.894 fortalezenses pertencentes aos grupos prioritários foram vacinados na primeira fase da campanha de vacinação. Destes, 87.718 já receberam o reforço (segunda dose) da vacina.

De acordo com dados do IntegraSUS, atualizados às 8h50 de hoje, Fortaleza soma 28.324 casos confirmados de Covid-19 entre idosos com mais de 60 anos, 19,1% do total (147.948). Já em relação ao total de óbitos na Capital, que chegou a 5.526, essa faixa etária detém 76% das mortes pela doença (4.202).

“A vacina em massa independente da faixa etária é a medida segura para redução das internações e óbitos”, aponta Caroline Gurgel, epidemiologista, virologista e professora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC). Ela destaca que a vacinação feita na primeira fase (de idosos de 75 anos ou mais) já refletiu na redução do número de internações dessa faixa etária. 

A referência tem como base o estudo desenvolvido pelo Prof. Carlos Henrique Morais de Alencar, do Departamento de Saúde Comunitária da UFC, em parceria com a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), que analisou dados de 314.315 idosos. A pesquisa revelou que a incidência de internação de pessoas que receberam a vacina é 53,3% menor em relação àqueles da mesma faixa etária que não foram imunizados. 

“Se a redução é de 53% isso significa que (hipoteticamente) eu tinha 100 internações antes da vacina e agora tenho 47 internações. É um ganho tremendo”, aponta. Caroline explica ainda que a imunização é um processo que independe da idade, e que por isso, é esperado resultados semelhantes em outras faixas etárias.

No entanto, o imunologista e professor do Departamento de Patologia e Medicina Legal da Faculdade de Medicina da UFC, Edson Holanda Teixeira, ressalta que o número de vacinados ainda é pequeno para surtir efeito na comunidade de modo geral.

O imunologista destaca que para ser observado grandes mudanças ou mesmo uma situação de normalidade como a de antes da pandemia, 70 a 80% da população tem que estar vacinada. Situação que está prevista para o final do ano. 

Ele pondera que, por mais que seja necessária a vacinação em massa, principalmente entre os idosos por serem mais vulneráveis à doença, isso não quer dizer que as vacinações já realizadas não tenham apresentado pontos positivos, como a redução de internações entre pessoas dessa faixa etária. 

“Em Israel, por exemplo, que conseguiu vacinar os grupos prioritários, houve redução acima de 90% de internações e de casos graves. Esperamos que nossos números sejam próximo a isso. Embora eles tenham utilizado a vacina da Pfizer, que tem uma eficácia global maior, nós esperamos que com a CoronaVac e a AstraZeneca tenhamos resultados semelhantes. Para que assim, sejam reduzidos os números de indivíduos que necessitem de um leito de UTI, visto que o colapso nos hospitais favorece uma maior mortalidade por Covid”, conclui.

Como e onde se cadastrar

Para esta segunda fase, o cadastro deve ser realizado na plataforma Saúde Digital. Após o cadastro, a Prefeitura realizará o agendamento para a aplicação da vacina.

Próximo à data da vacinação, a confirmação do agendamento será enviada, via e-mail e WhatsApp, com as orientações sobre data, horário e local onde o idoso deve comparecer. 

Diariamente é disponibilizada neste site a lista nominal dos idosos que serão vacinados.

Para os idosos acamados ou com mobilidade reduzida, a vacinação domiciliar ocorre com as equipes da Prefeitura garantindo a aplicação tanto da primeira como da segunda dose.

As equipes da Prefeitura também fazem uma busca ativa para localizar os idosos que não têm acesso à internet ou possuem dificuldades em realizar seu cadastro. O público mencionado é encaminhado aos Cucas  Barra do Ceará, Jangurussu, Mondubim e José Walter.

Modalidades e locais de vacinação

De acordo com a Secretaria de Saúde do município, a vacinação ocorrerá de forma descentralizada, evitando aglomeração e respeitando as regras sanitárias. Além da vacinação domiciliar, serão disponibilizados oito centros de vacinação para acolher o público que optou por outra modalidade.

Os endereços estão localizados na Arena Castelão; no Centro de Eventos; no shopping RioMar Fortaleza e no RioMar Kennedy. Além do drive-thru, serão oferecidos pontos de acolhimento para vacinação para atender tanto os idosos que dispõem de carro como os que utilizam outros meios de transporte.

Já os quatro Cucas (Barra do Ceará, Jangurussu, Mondubim e José Walter) irão aplicar o imunobiológico nas salas de acolhimento para vacinação. 

Também haverá a vacinação domiciliar para os idosos de 74 anos acamados ou com restrição de mobilidade, condição que deve ser informada no ato do cadastramento no Saúde Digital.