“Poderíamos avançar para o retorno nas demais séries”, diz Sindicato de escolas particulares do CE

Educação Infantil e dois anos iniciais do Ensino Fundamental poderão retornar presencialmente a partir da próxima segunda (12), conforme novo decreto

Legenda: Assim como em 2020, Educação Infantil foi a primeira contemplada no plano de reabertura.
Foto: José Leomar

Turmas da Educação Infantil com crianças de até cinco anos e de estudantes do 1º e 2º ano do Ensino Fundamental serão autorizadas a retornar de forma presencial no Ceará, a partir da próxima segunda-feira (12). Os colégios devem respeitar o limite de 35% da capacidade, pouco acima dos 30% liberados na retomada ocorrida em 2020.

Para o Sindicato de Educação da Livre Iniciativa do Ceará (Sinepe), além das autorizações já anunciadas, há condições para que outras turmas também tenham possibilidade de retorno.

Entendemos que não existem problemas em abrir escolas, portanto poderíamos avançar para o retorno das atividades nas demais séries, principalmente a 1ª e 2ª série do Ensino Médio, cujos alunos estão há mais de um ano sem aulas presenciais”
Andréa Nogueira
Vice-presidente do Sinepe

O retorno após o segundo período de lockdown no Estado foi anunciado neste sábado (10), pelo governador Camilo Santana, durante transmissão ao vivo nas redes sociais. Além do retorno gradual de atividades não essenciais, também foi instituído um toque de recolher entre 20h e 5h e a manutenção do isolamento social rígido aos fins de semana. 

O Movimento Escolas Abertas Ceará emitiu uma nota que critica a decisão do  Governo do Estado em manter em modelo remoto algumas séries.  "O Escolas Abertas Ceará demonstra preocupação com o que considera uma afronta aos princípios que norteiam a educação como direito fundamental da criança e do adolescente no nosso estado".  Para o Movimento, há ainda um questionamento: "Onde ficarão as crianças e jovens a partir de 8 anos de idade quando seus responsáveis estiverem trabalhando? ". 

A servidora pública Lândia Pinheiro tem uma filha de 3 e outra de 15 anos, no Infantil III e na 1ª série do Ensino Médio, respectivamente. Mesmo com o desafio de lidar com as aulas remotas há mais de um ano, ela afirma que só permitirá o retorno às salas de aula quando houver segurança sanitária para isso.

“O Governo deveria priorizar a saúde e a educação: vacinar os educadores, em seguida os alunos, e aí sim as aulas poderiam voltar”, propõe.

Por atuar na área da saúde, ela - que passou a servir como cabeleireira e barbeira do pai para ele não sair de casa - percebe que “muita coisa depende de nós, pena que muita gente não tem consciência disso”.

Casos de Covid em estudantes

De acordo com a plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde (Sesa), foram registrados 85 casos de Covid-19 em estudantes cearenses desde o início da pandemia. Desse total, 36 tinham até 4 anos de idade, e outros 49 tinham entre 5 e 9 anos.

Os números crescem na faixa etária seguinte: foram 136 casos em estudantes de 10 a 14 anos. Contudo, a maior concentração de confirmações está naqueles que têm entre 15 e 19 anos: foram 9.353 registros até este sábado (10).

Relembre a reabertura em 2020

Em 2020, as escolas ficaram fechadas a partir do primeiro decreto de isolamento, em 20 de março. Após o primeiro lockdown, entre 8 e 31 de maio do ano passado, o Governo iniciou o plano de retomada das atividades comportamentais e econômicas.

Legenda: Com retomada, protocolos de uso de máscara e distanciamento entre alunos passam a ser cobrados.
Foto: Helene Santos

Mesmo previstas inicialmente para voltar na quarta fase do plano, no fim de julho, as aulas presenciais só começaram a ser autorizadas a partir de 1º de setembro de 2020, também por turmas de Educação Infantil de escolas particulares. 

As escolas só podiam receber 30% dos alunos e tinham obrigação de continuar ofertando o ensino remoto. A decisão do Governo não agradou ao setor, e manifestações foram organizadas pedindo a ampliação do funcionamento de outras turmas. 

Com o passar dos meses,  alunos de mais séries foram permitidos nas escolas particulares. Porém, as únicas que nunca tiveram o retorno presencial aprovado em nenhuma das etapas foram a 1ª e a 2ª série do Ensino Médio.

Confira o passo a passo da reabertura no Ceará:

  • 1º de setembro: turmas da educação infantil voltaram seguindo novos protocolos
  • 1º de outubro: liberadas as séries 1°, 2°e 9° ano do ensino fundamental e 3° ano do ensino médio
  • 3 de novembro: turmas do 3° ao 8° ano voltam para sala de aula com limite de 35% da capacidade;
  • 15 de dezembro: foram liberadas atividades de ensino extracurriculares em escolas públicas, como exercícios preparatórios para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e vestibulares. 

O ano letivo de 2021 começou no fim de janeiro, nas escolas particulares. A Secretaria da Educação do Ceará (Seduc) também havia estabelecido o retorno gradual das aulas nas escolas da rede pública estadual a partir de fevereiro. 

No entanto, em 19 de fevereiro de 2021, com o incremento exponencial de casos de Covid-19 no Estado, um novo decreto suspendeu as aulas presenciais, exceto para turmas com alunos de 0 a 3 anos. Com o lockdown decretado em 5 de março, em Fortaleza, e 13 de março, para todo o Ceará, elas também voltaram para o ensino remoto.

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza