'Não tenho pra onde ir', diz idosa que teve casa danificada por explosão em empresa de oxigênio

Moradores do entorno relatam que a preocupação com a empresa em área residencial não é de agora

Legenda: Parede da casa de dona Rita ficou solta após o impacto da explosão
Foto: Kid Junior

explosão da fábrica da White Martins, localizada na avenida Francisco Sá, deixou sequelas nas residências e prédios da região. Além disso, cinco pessoas ficaram feridas. Moradores do entorno relatam que a preocupação com a empresa em área residencial não é de agora e até um abaixo-assinado já foi feito, sem resultado.

A reportagem do Diário do Nordeste esteve no local na manhã deste domingo (25) e conversou com alguns moradores. 

Dona Rita Nogueira tem 82 anos, há dois mora no bairro Carlito Pamplona. O impacto da pressão da explosão deixou as janelas de vidro da casa onde mora quebradas, além de rachaduras no teto e nas paredes, uma delas ficou solta. 

"Eu moro sozinha, não tenho família aqui. Não tenho para onde ir. Tive que improvisar com caixas de papelão para tapar as janelas que foram quebradas". 
Rita Nogueira
aposentada

Legenda: Casa de dona Rita foi danificada com a explosão
Foto: Kid Junior

Um prédio residencial localizado a cerca de 250 metros da fábrica também sofreu com o impacto. Janelas de vidro foram quebradas, além de pelo menos duas portas de apartamentos distintos, conforme moradores que não quiseram se identificar. 

Informações obtidas pela reportagem apontam que o estrago atingiu um raio de quase 1 quilômetro de distância, em casas localizadas na Av. José Jatahy.   

Abaixo-assinado

A localização da fábrica, de acordo com moradores mais antigos, já incomodava há bastante tempo. Airton Santos, de 50 anos, mora há mais de 30 anos no bairro e relata que já foi realizado um abaixo-assinado para a retirada da empresa. 

"Eu passo por aqui todo dia, já fizemos um abaixo-assinado para a retirada, mas não deu em nada. O povo já tava apavorado, antes mesmo da explosão, pois sabia dos riscos. Passa muito pedestre por aqui, além de ser uma área residencial".
Airton Santos
auxiliar de serviços gerais

Legenda: Impacto deixou parte da fábrica destruída
Foto: Kid Junior

Indenizações

Ao Diário do Nordeste, a empresa afirmou que iniciou os contatos com os vizinhos da unidade para “ressarcimento dos prejuízos" na manhã de hoje, além de providenciar hospedagem temporária de um casal de moradores em um hotel. 

“A empresa criou um canal exclusivo em sua Central de Relacionamento - 0800 709 9000 - para recebimento das solicitações destes moradores”, ressaltou o comunicado.

Perícia e vistoria

No sábado (24), equipes da Defesa Civil de Fortaleza foram ao local para realizar vistoria técnica das edificações localizadas no entorno da empresa. O prédio da White Martins foi interditado. "Os trabalhos devem continuar até todas as ocorrências serem atendidas. A Defesa Civil de Fortaleza reforça que, em caso de qualquer risco, pode ser acionada via Ciops, pelo fone 190". 

Neste domingo, uma empresa especializada contratada pela fábrica realiza perícia detalhada para investigar as causas do acidente. "Além disso, técnicos altamente especializados estão fazendo uma avaliação das condições necessárias para que as operações no local possam ser retomadas com segurança o mais breve possível, também em parceria com as autoridades", afirmou a White Martins em nota.   

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza