MPCE pede que 29 municípios indiquem como vão garantir 2ª dose de vacina contra Covid-19

Número de municípios notificados é crescente no Ceará

Frascos de vacina em fileira sendo analisados por profissional
Legenda: Fortaleza e outros municípios tiveram de interromper o esquema de vacinação com a CoronaVac devido à dificuldade no fornecimento da CoronaVac
Foto: Wang Zhao/AFP

A lista de municípios citados pelo Ministério Público do Ceará (MPCE) para garantir a aplicação da 2ª dose da vacina contra a Covid-19 no Estado é crescente. Nesta segunda-feira (3), mais cinco cidades foram citadas pelo órgão e, assim, chegou a 29 o total de cidade para as quais o MP emitiu recomendação exigindo o cumprimento do Plano Nacional de Imunização e a garantia da segunda dose do imunizante (ver lista abaixo

Até a última sexta-feira, eram 24 os municípios cearenses citados pelo MPCE. A partir do momento em que recebem a notificação oficial, as prefeituras têm 24 horas para apresentar um plano de execução

O órgão expediu as recomendações nas últimas quinta (29) e sexta-feiras (30). Nesta segunda, os municípios que entraram na listagem foram: Acopiara, Boa Viagem, Juazeiro do Norte, Massapê e Quixelô.

Fortaleza e outros municípios tiveram de interromper o esquema de vacinação com a CoronaVac devido à dificuldade no fornecimento deste imunizante, que, no Brasil, é produzido pelo Instituto Butantan.

Preocupados, na Capital, idosos ainda tentaram completar a imunização na quinta-feira e se depararam com longas filas e frustração.

Conforme o pedido do MP, a eventual falta ou escassez da segunda dose deverá ser comunicada previamente e imediatamente ao órgão. O prazo começa a valer partir do momento em que as cidades recebem a notificação oficial —  o que pode ser diferente para cada uma. 

Ainda segundo o documento, as secretarias da Saúde deverão informar se foram armazenadas as vacinas necessárias para a segunda dose, o quantitativo de imunizantes e pacientes à espera. Também será necessário indicar a previsão da chegada de novos lotes, sobretudo da CoronaVac.

POPULAÇÃO DEVE SER INFORMADA

O MPCE recomendou, ainda, a divulgação à população de todas as informações necessárias para a segunda dose - como datas limites, informação sobre eventual atraso, prazo limite para aplicação, como proceder em caso de atraso ou erro com aplicação de vacinas diferentes.

Novos lotes

Na última quinta-feira (29) e no sábado (1º), o Estado até recebeu novos lotes, totalizando 15,4 mil doses da CoronaVac. Contudo, o quantitativo é insuficiente para superar o déficit de mais de 40 mil pessoas que não conseguiram completar a vacinação só na Capital. 

Com os novos lotes, a imunização dos idosos que estão atrasados começou nesta-segunda em Fortaleza. Serão adotados critérios de maior intervalo de tempo da primeira dose e maior idade.

Apenas os idosos que tiverem os nomes confirmados por meio de lista e/ou mensagem de texto devem comparecer a um dos locais de vacinação. A lista pode ser conferida no site da Prefeitura.

O grupo de idosos que não for contemplado neste momento, mesmo que o prazo anotado no cartão de vacinação já tenha expirado, deve aguardar o agendamento. 

Primeiro lote da Pfizer no Ceará

Nesta segunda-feira (3), também chegou nova carga com 255.750 imunizantes são da AstraZeneca/Oxford e a primeira remessa de doses 17.550 da Pfizer. 

Os imunobiológicos da Pfizer serão utilizados para iniciar a 3ª fase da vacinação no Ceará, que contemplará grávidas, puérperas e pessoas com comorbidades. 

Veja municípios citados pelo MP:

  • Amontada
  • Banabuiú
  • Barbalha
  • Baturité
  • Caucaia
  • Choró
  • Croatá
  • Fortaleza
  • Frecheirinha
  • Graça
  • Guaraciaba do Norte
  • Iguatu
  • Independência
  • Itaitinga
  • Itapipoca
  • Jati
  • Madalena
  • Maranguape
  • Mauriti
  • Palmácia
  • Penaforte
  • Porteiras
  • Quixadá
  • São Benedito
  • Acopiara
  • Boa Viagem
  • Juazeiro do Norte
  • Massapê
  • Quixelô
Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza