Municípios têm 24 horas para mostrar como vão garantir a 2ª dose da vacina, recomenda MPCE

Ao todo, 18 municípios cearenses foram notificados; veja lista

Dose dentro de seringa.
Legenda: Com o atraso no repasse de vacinas por parte do Governo Federal, municípios precisaram interromper a aplicação de segundas doses
Foto: Kid Júnior

O Ministério Público do Ceará (MPCE) expediu, nesta quinta (29) e sexta-feiras (20), recomendações para garantir a 2ª dose de vacinas contra a Covid-19 em 24 municípios do Estado (ver lista abaixo).

As gestões terão 24 horas, após serem notificadas oficialmente, para apresentaram um plano de execução. 

Fortaleza e outros municípios tiveram de interromper o esquema de vacinação com a CoronaVac devido à dificuldade no fornecimento deste imunizante, que, no Brasil, é produzido pelo Instituto Butantan. Preocupados, na Capital, idosos ainda tentaram completar a imunização nesta quinta e se depararam com longas filas e frustração. Nesta sexta, apenas a vacina da AstraZeneca foi aplicada.

Conforme o pedido do MP, a eventual falta ou escassez da segunda dose deverá ser comunicada previamente e imediatamente ao órgão. O prazo começa a valer partir do momento em que as cidades recebem a notificação oficial - o que pode ser diferente para cada uma. 

Ainda segundo o documento, as secretarias da Saúde deverão informar se foram armazenadas as vacinas necessárias para a segunda dose, o quantitativo de imunizantes e pessoas à espera. Também será necessário indicar a previsão da chegada de novos lotes, sobretudo da CoronaVac.

Segundo a secretária da Saúde de Fortaleza, Ana Estela Leite, a situação na Capital foi ocasionada pelo atraso do repasse de lotes por parte do Governo Federal. Em publicação nas redes sociais, o prefeito Sarto Nogueira reforçou que o Município precisa "que o Ministério da Saúde nos envie novas remessas de CoronaVac para concluir o ciclo vacinal de quem aguarda a segunda dose desse fabricante".

O MPCE também recomenda que seja divulgada a lista completa de pessoas cujas doses se expiram nos próximos dias e se há vacinas para todas, com especificação das providências a serem adotadas em caso de expiração do intervalo de 28 dias recomendado entre a primeira e a segunda dose.

Cidades citadas: 

  • Fortaleza
  • Iguatu
  • Quixadá
  • Banabuiú
  • Choró
  • Itapipoca
  • Palmácia
  • Maranguape
  • Porteiras
  • Jati
  • Penaforte
  • Baturité
  • Guaraciaba do Norte
  • Croatá
  • Frecherinha
  • Mauriti
  • Itaitinga
  • Graça

População deve ser informada

O MPCE recomendou, ainda, a divulgação à população de todas as informações necessárias para a segunda dose - como datas limites, informação sobre eventual atraso, prazo limite para aplicação, como proceder em caso de atraso ou erro com aplicação de vacinas diferentes.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza