Motoristas e cobradores de ônibus de Fortaleza aceitam acordo de reajuste que suspendeu greve

Valores serão reajustados em 10,24%, de forma escalonada, até 2022

movimentação em terminal de ônibus de fortaleza
Legenda: Greve por reajuste de salários e reivindicação de vacinação foi deflagrada em 8 de junho, mas suspensa no dia seguinte
Foto: Fabiane de Paula

Em assembleias realizadas nesta quarta-feira (23), motoristas e cobradores do transporte público de Fortaleza aceitaram acordo que deu fim à greve da categoria. Foi decidido, em mediação entre a representação sindical e a das empresas, que os salários serão reajustados em 10,24%, de forma escalonada.

Acordo prevê que a partir de 1º de dezembro deste ano, o reajuste subirá para 4%. Em 1º de março de 2022, este percentual será de 10,24%, condicionado à "não ocorrência de problemas relacionados à Covid-19", segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT) divulgou. 

A paralisação da categoria, que começou no dia 8 de junho, foi suspensa no dia seguinte. Foram consideradas as propostas do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-CE).

Consenso sobre as reivindicações foi firmado entre o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro) e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus).

O TRT mediou as negociações, por meio do desembargador Paulo Régis Botelho. 

Reajustes 

Pactuação dos sindicatos ainda conseguiu reajuste da cesta básica dos trabalhadores para R$ 155. A partir de março de 2022, o valor subirá para R$ 160. O auxílio-alimentação também subirá a partir do ano que vem, para R$ 16. 

Em maio deste ano, os motoristas e cobradores haviam recebido reajuste de 2,46%. Segundo o presidente do Sindiônibus afirmou durante as negociações da greve, o valor oferecido foi mais baixo devido à dificuldade das empresas de transporte em arcarem com custos, por conta da situação econômica durante a pandemia. 

Novas assembleias

Segundo o Diário do Nordeste apurou com o Sintro, novas assembleias serão realizadas nos sete terminais de ônibus de Fortaleza até a próxima sexta-feira (25). Entidade afirma que é preciso "ouvir a opinião de todos".

No entanto, já não existe possibilidade de retomada da greve, pois as duas assembleias gerais convocada nesta quarta-feira tiveram retorno positivo de motoristas e cobradores. 

Vacinação de motoristas

Uma das principais pautas da greve era a vacinação da categoria contra a Covid-19. Os trabalhadores de transporte coletivo estavam no grupo prioritário da campanha na fase 4, mas foram retirados para que a imunização da população geral começasse. 

Em reunião do TRT em meio à pactuação entre os sindicatos, o desembargador Paulo Régis Machado Botelho pediu que Sintro e Sindiônibus se unam em um documento e peçam a vacinação ao Governo do Ceará e à Prefeitura de Fortaleza. 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza