Mesmo com 90% da população vacinada com D1, Ceará ainda tem mais de 600 mil pessoas sem nenhuma dose

Para gestores, processo deve ser acelerado pela chegada da variante Ômicron ao Estado.

Escrito por Nícolas Paulino, nicolas.paulino@svm.com.br

Metro
Legenda: Maioria das cidades cearenses, atualmente, já iniciou as doses de reforço.
Foto: Thiago Gadelha

Falta menos de um mês para o Ceará completar o primeiro ano de vacinação contra a Covid-19. Enquanto uma parte importante da população já está recebendo a dose de reforço, há mais de 600 mil cearenses que sequer receberam a primeira dose.

O cálculo do Diário do Nordeste se baseia em dados do vacinômetro estadual divulgado diariamente pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), que também usa como base informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Até a última quarta-feira (29), foram vacinadas com a primeira dose 6,99 milhões de pessoas com mais de 12 anos, que é a menor faixa etária apta ao imunizante, conforme decisão das autoridades de saúde do Brasil.

Porém, mesmo sem o Censo Demográfico atualizado, o IBGE estima 7.681.764 habitantes com mais de 12 anos no Estado, em 2021. Ou seja, até o momento, 684 mil pessoas estariam descobertas.

O vacinômetro da Sesa explica que, embora a meta por faixa etária tenha sido calculada de acordo com as estimativas populacionais do IBGE, a vacinação acontece mediante o cadastro na plataforma Saúde Digital.

Se forem considerados esses dados, a diferença se torna ainda maior: até quarta-feira (29), foram cadastradas 8,3 milhões de pessoas, das quais 6,3 milhões tiveram a inscrição confirmada.

Richristi Gonçalves, secretária executiva de Vigilância e Regulação da Sesa, reforça a importância da imunização porque o vírus da Covid-19 ainda está circulando no Estado, inclusive com “aumento progressivo” e “maior contaminação das pessoas” no fim de 2021.

Um dos principais alertas se refere à variante Ômicron, já detectada no Estado em três viajantes vindos do exterior. Porém, ela pondera que já pode haver transmissão comunitária, quando não é possível determinar a origem da infecção.

Gonçalves apela que os cearenses busquem a vacinação, seja para a primeira, segunda ou terceira dose (reforço). Conforme a divisão do Sistema Único de Saúde, é importante consultar as prefeituras municipais ou as secretarias de Saúde.

“Por mais que as pessoas adoeçam, porque há muitas mutações nessa variante e pode haver escape vacinal, temos um ganho importante com a imunização. Os casos não estão agravando”, lembra.

Desinformação atrapalha o processo

Ao todo, 24 cidades atingiram mais de 100% de cobertura da D1, ou seja, vacinaram mais pessoas do que a estimativa da população. No geral, quase todas as cidades cearenses já atingiram mais de 70% das pessoas aptas ao imunizante, que era a meta inicial do sistema de saúde.

Nos últimos meses, representantes da área da saúde de municípios com menor aplicação têm afirmado que a baixa adesão ao cadastro informatizado, já que parte dos cearenses não tem acesso à internet, é o principal problema para avançar no processo de vacinação.

Entre as saídas encontradas, estão campanhas de sensibilização em redes sociais e rádios locais e a disponibilização de locais específicos para o cadastramento, sejam postos fixos ou equipamentos volantes, além da busca ativa de agentes comunitários de saúde.

Luís Cláudio de Sousa, presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e Endemias do Ceará (Sinasce), considera a quantidade de faltosos “alarmante” e credita esse percentual à propagação de notícias falsas sobre a vacina.

“Os agentes sabem onde é a casa de todos e quem já tomou primeira e segunda dose. O problema é essa campanha que está sendo feita contra a vacina, que aumenta a resistência do povo. Os mutirões são feitos de forma exemplar, mas o trabalho de convencimento é grande”, lamenta.

Passaporte vacinal gerou aumento

Para a presidente do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Ceará (Cosems-CE), Sayonara Cidade, a cobrança do passaporte vacinal para a entrada em estabelecimentos privados deu mais respaldo às ações de vacinação e aumentou a procura da população, desde que foi implementado.

De acordo com a plataforma Digital, houve um incremento no número de cadastros confirmados no sistema público após a divulgação da exigência, a partir do dia 15 de novembro. Desde então, quase 128 mil inscrições foram efetivadas:

  • 1º a 15 novembro - 37.070 cadastros
  • 16 a 30 novembro - 57.810 cadastros
  • 1 a 15 dezembro - 44.898 cadastros
  • 16 a 29 dezembro - 25.173 cadastros

No entanto, ela também chama a atenção para o fim de ano, já que as aglomerações em festividades podem aumentar o alcance da contaminação, seja por Covid-19 ou pela influenza.

“Precisamos, nesse momento, que as pessoas tomem consciência e tentem, o mínimo possível, ter o controle dentro das suas residências. Nesse momento de festas, estamos vendo uma positividade maior”, diz.

Primeira dose sem agendamento

Em Fortaleza, qualquer cidadão residente em Fortaleza pode tomar a primeira dose de vacina sem a necessidade de agendamento, desde que esteja cadastrado há mais de 24 horas no Saúde Digital. Centros de vacinação específicos e por faixa etária recebem o público.

PASSO A PASSO PARA O CADASTRO NO SAÚDE DIGITAL 

  1. Acesse o site Saúde Digital
  2. Selecione a opção "Ainda não tenho cadastro"
  3. Identifique-se preenchendo corretamente seus dados
  4. Nesta etapa do cadastro, deve ser informado se a pessoa está acamada, se tem alguma comorbidade e profissão
  5. Confirme seus dados e crie uma senha de acesso ao cadastro
  6. Finalize o cadastro e aguarde seu agendamento
  7. Em Fortaleza, é possível acompanhar a lista de agendados no site. Os nomes são divulgados diariamente

E-MAIL DE CONFIRMAÇÃO DO CADASTRO NÃO CHEGOU

Nesse caso, cheque todas as caixas do seu e-mail como "spam" e "lixeira". Caso não encontre a mensagem, a Sesa disponibiliza o telefone gratuito 0800 275 1475 para questionamentos sobre o Cadastro Estadual de Vacinação. 

No site da Sesa e do Governo do Ceará está disponível também o assistente virtual "Plantão Coronavírus". 

Caso a dúvida seja relacionada à imunização em Fortaleza, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) tem o número 156.

COMO ACESSAR O CADASTRO DE VACINAÇÃO? 

Quem deseja acessar o seu cadastro deve entrar na plataforma Saúde Digital e clicar em "Já tenho cadastro". O acesso é feito com o CPF e a senha criada no ato do cadastramento.