Hospital Universitário do Ceará vai oferecer atendimento em todas as especialidades médicas

Construído dentro da Universidade Estadual do Ceará (Uece), em Fortaleza, maior hospital público do Estado deve ficar pronto até o fim de 2022

Legenda: O HUCE terá 654 leitos de internação distribuídos em três torres (clínica, cirúrgica e materno-infantil), dentro da Uece, em Fortaleza
Foto: Assessoria de comunicação da Casa Civil

A rede de policlínicas, hospitais e unidades de atendimento especializado da Secretaria da Saúde (Sesa) deve ganhar um importante reforço com a finalização das obras do Hospital Universitário do Ceará (HUCE), previstas para o fim do ano que vem. De acordo com o Governo, este será o maior hospital público do Estado

Localizado no campus da Universidade Estadual do Ceará (Uece), no bairro Itaperi, em Fortaleza, o equipamento vai ofertar atendimento à população em todas as especialidades médicas, incluindo fisioterapia, cardiologia, neurologia, pediatria, odontologia, etc. E funcionará como nova sede para o Hospital César Cals, totalizando 654 leitos, sendo 184 de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 470 de internação geral.

De acordo com o reitor da Uece, o professor Hidelbrando Soares, o hospital representa uma "reconfiguração" da universidade que engloba, inclusive, uma reformulação dos currículos dos cursos da área de saúde. "Todas [as áreas] serão impactadas por esse processo de modernização", afirma, projetando o desenvolvimento, no campus do Itaperi, de um "polo científico e tecnológico de inovação".

Soares acrescenta que, sem o equipamento, a Uece já tem significativa presença em ensino e pesquisa no Norte e Nordeste, tendo pelo menos 110 ativos no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (Inpi), a maior parte nas áreas de saúde animal e saúde humana. "O hospital vem para, efetivamente, dar à Uece um novo patamar acadêmico", comemora.

O complexo hospitalar, para o qual foram investidos R$ 274,7 milhões, está sendo construído no terreno da Uece, em uma área de 79,5 mil metros quadrados (m²), desde janeiro deste ano. No local, será erguido um edifício principal de três torres (clínica, cirúrgica e materno-infantil), com seis pavimentos integrados a ambientes distintos, onde haverá enfermarias pediátricas e adultas, ambulatórios, área de exames e laboratórios, consultórios médicos e odontológicos, dentre outros. Confira abaixo como será a estrutura geral do HUCE. 

Mudança no sistema assistencial 

Além de ampliar a rede de atendimento médico-hospitalar, dando suporte a outros hospitais da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e hospitais regionais do Estado, o HUCE também vai contribuir com a formação acadêmica de alunos da área da saúde na Uece.  

De acordo com o secretário da Saúde do Ceará, Dr. Cabeto, essa pode ser considerada “uma das obras da Saúde mais importantes” do Estado, pois integra o sistema de saúde ao sistema de ensino.

“É a produção de ciência. Aumenta a acessibilidade para uma grande parte dos cearenses. Esse é o maior hospital do Ceará, todo de alta tecnologia, com emergências. É um hospital que vai mudar todo o sistema assistencial de Fortaleza e do Estado”, projeta o secretário. 

Na opinião de Dr. Cabeto, o modelo de assistência médico-hospitalar do HUCE vem alterar "completamente o paradigma da saúde" no Estado. Sobretudo neste momento em que o Governo lança, paralelamente, o concurso público para a contratação de 6 mil profissionais da área. "Outro paradigma junto com esse [hospital], que marcam o modelo da modernização da saúde no Estado do Ceará".   

Legenda: Ocupando uma área de 79,5 mil m², as obras do HUCE foram iniciadas em janeiro de 2021
Foto: Assessoria de Comunicação da Casa Civil

Hospital universitário no Sertão Central

Seguindo o projeto de modernização da saúde no Ceará, Hidelbrando Soares, reitor da Uece, adiantou que a universidade está em negociação com o Governo do Estado para assumir a coordenação de ensino e pesquisa do Hospital Regional do Sertão Central, situado em Quixeramobim.

A ideia, segundo o reitor, é interiorizar a oferta de cursos de graduação na área da saúde e ampliar a pesquisa científica da universidade com a abertura de um campus no local. "Já temos a autorização para a constituição do projeto pedagógico. [...] Queremos chegar até o fim do ano com tudo aprovado", afirma, acrescentando que, para a Uece, isso é "um marco histórico".

Saúde e conhecimento enriquecidos

Para a estudante do curso de Enfermagem da Uece, Lívia Lopes, de 23 anos, a implantação do hospital dentro da universidade deve favorecer não somente a formação acadêmica dos alunos, como também a população, que poderá ter acesso a uma série de serviços de saúde.  

“O Hospital Universitário vai muito mais além do que oferecer uma assistência médica porque permite que o aluno desenvolva e enriqueça muito tudo aquilo que ele aprende dentro da universidade. E ali, no Itaperi, existem muitas comunidades carentes e moradores rua. Acredito que essas pessoas poderão ser melhor assistidas pelo hospital”.  

Lívia está cursando o sexto semestre de Enfermagem e pretende estagiar no novo empreendimento. Além da assistência à população, ela avalia que o novo hospital tende a estimular o desenvolvimento de pesquisas, beneficiando toda a comunidade acadêmica.  

“Acredito que vai ser muito bom para dar continuidade a esse conhecimento que os alunos recebem na universidade. E a gente ainda vai ter a oportunidade de estagiar ‘em casa’”, diz, satisfeita.  

Legenda: Serão 654 leitos, sendo 184 de UTI, com todas as especialidades médicas
Foto: Assessoria de comunicação da Casa Civil

Veja como será a estrutura geral do HUCE: 

  • Centros cirúrgico e obstétrico; 
  • Leitos de apoio e observação; 
  • Serviços de terapia intensiva (neonatologia, pediatria e adulto);  
  • Serviços de urgência e emergência;  
  • Serviços de fisioterapia, endoscopia, cardiologia, neurologia, imagem e diagnóstico;  
  • Enfermarias pediátricas e adultas;  
  • Ambulatórios, área de exames e laboratórios;  
  • Consultórios médicos e odontológicos; 
  • Consultórios de serviço social, psicologia e nutrição;  
  • Centro de convivência;  
  • Dois auditórios com 50 lugares cada;  
  • Área técnica e de ensino;  
  • Heliponto. 

Execução e adaptações

Sob supervisão da Superintendência de Obras Públicas (SOP), o HUCE está com cerca de 10% da obra executada. A projeção é que, nos próximos meses, aproximadamente 600 funcionários trabalhem de forma direta na construção da unidade de saúde, totalmente arcada pelo Tesouro do Estado. Ao todo, foram investidos R$ 274.741.427,37.

Na terça-feira (22), o governador Camilo Santana acompanhou a implantação do primeiro pilar do hospital. Além da execução da obra dentro do terreno pertencente à Uece, também serão realizadas adaptações urbanísticas no entorno do HUCE, com o alargamento das vias de acesso, paisagismo, iluminação, entre outras intervenções. Ainda não há uma data ou mês cravado para a finalização da construção.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza