Como substituir passeios com pets durante o lockdown em Fortaleza? Veterinária explica opções

Até o próximo dia 18, atividades não essenciais estão paralisadas na Capital - incluindo os passeios com animais domésticos

Passeios com animais em vias públicas também está proibido
Legenda: Segundo especialistas, é necessário ter atenção para a necessidade dos animais em relação aos exercícios constantes
Foto: Rodrigo Gadelha

O novo decreto de lockdown em Fortaleza permite que apenas serviços essenciais continuem em pleno funcionamento na Cidade até o próximo dia 18. A medida, que visa a diminuição dos casos da Covid-19 e uma melhor assistência a pacientes com a doença, pode alterar grande parte da rotina dos fortalezenses, até mesmo quando assunto é os cuidados com os animais em casa.

Os passeios com cães, gatos ou outros bichos de estimação, por exemplo, estão proibidos em vias públicas, assim como qualquer outra atividade fora das residências. E quais são as alternativas para garantir a saúde e o bem-estar dos pets em meio ao isolamento rígido?

Segundo especialistas, os cuidados com os animais devem ser constantes neste período, já que a rotina deles também acaba se alterando. Exatamente por isso, reunimos as principais dicas para adaptar o passeio com eles a partir de agora. Confira abaixo:

Como substituir o passeio?

De acordo com a veterinária Priscila Frota, os donos de pets podem buscar alternativas simples para continuar com o momento, que geralmente é mais comum para os cães. "É possível montar circuitos ou tentar colocar a coleira para caminhar com ele, caso exista uma área externa na casa. Os passeios de pessoas que moram em condomínios estão liberados naquele espaço, então podem ser uma opção", lembra a profissional.

Priscila lembra também que todos os animais precisam "gastar" energia ao longo do dia.

"Para apartamentos que não possuem essas áreas, o indicado é utilizar brinquedos para fazer mini-circuitos. Existe algo chamado enriquecimento ambiental, que é muito importante, e significa ter brinquedos capazes de atrair o animal. Isso vale até mesmo para gatos", conta.

A veterinária define objetos indicados para prática. São eles: arranhadores, bolinhas com isca de peixe, brinquedos com cheios de ração, mordedores, etc. O objetivo, ela reforça, é evitar o estresse entre os bichos.

Bolinhas e brinquedos podem ajudar cães durante isolamento
Legenda: Os objetos são essenciais para as atividades com os animais em casa
Foto: Shutterstock

O passeio é importante?

Sobre essa questão, Priscila explica a importância de entender a necessidade do animal. Para ela, nem toda verdade é absoluta nesse quesito, mas os exercícios são fundamentais para o desenvolvimento deles. "Em alguns casos, a falta pode prejudicar sim. Existem alguns que precisam desse passeio porque estão obesos. Tem também aqueles que só fazem as necessidades fora de casa, por exemplo", relata ela. 

No ano passado, ela diz ter atendido diversos casos de cães com constipação, por exemplo, pois haviam criado o hábito de sair à rua para evacuar. Nessa questão, ela aponta, a atenção direta ao comportamento pode fazer toda a diferença.

"Como o serviço veterinário é essencial, os donos de animais continuam mantendo essa assistência. Sendo assim, pode-se procurar auxílio nesses casos". 

Gato em casa também precisa de exercício mesmo em lockdown
Legenda: Ainda que não sejam comuns os passeios com gatos, donos devem fazer atividades para fortalecer o enriquecimento ambiental
Foto: Shutterstock

Como limpar após o passeio?

Mesmo que o passeio não seja normalmente realizado a partir de agora, existem casos nos quais o animal precisa sair de casa. Após esses momentos, eles devem ser limpos para evitar a proliferação do vírus ou até mesmo de outros germes

Priscila Frota reforça, com seriedade: não é recomendado utilizar álcool em gel nos animais. "Sempre é importante fazer a limpeza das patas, independente de pandemia ou não. Existem produtos, como lencinhos umedecidos, ou pode-se usar uma solução do próprio shampoo deles, por exemplo", comenta ao lembrar que atendeu diversos casos de animais prejudicados pelo álcool no ano passado.