Plataforma educacional desenvolvida no Brasil é exportada para 40 países

Mais de 55 mil professores e 22 mil escolas já foram beneficiadas com a Guia EduTec.

: imagem educação
Legenda: No país, mais de 55 mil professores e 22 mil escolas já foram beneficiados com a plataforma Guia EduTec.
Foto: Divulgação

Com a suspensão das aulas presenciais como medida de segurança para evitar o contágio de Covid-19, a importância do uso da tecnologia no contexto escolar ficou ainda mais evidente. Lá atrás, em 2016, para melhorar a relação das escolas com o digital, o Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB) criou a plataforma Guia EduTec. No país, mais de 55 mil professores e 22 mil escolas [1] já foram beneficiados com a plataforma. Agora a ferramenta será exportada para 40 países.

Em resumo, a plataforma gratuita identifica o grau de adoção de tecnologias digitais de escolas e redes de ensino do país, assim como o nível de familiaridade dos professores com a tecnologia. Com as informações disponibilizadas por ela, os gestores públicos podem adotar medidas que melhorem o acesso a uma educação mais tecnológica.

A ferramenta é eficaz para consolidar e dar um panorama ao gestor público sobre o uso de tecnologia aliada à educação. Além de sugerir ações que a escola pode fazer para melhorar o acesso dos professores e alunos aos meios tecnológicos e seus benefícios. Com a exportação, 40 países da América Latina, Caribe, África e Ásia poderão adotar a metodologia nas suas redes de ensino.

A Costa Rica será o primeiro país a utilizar a ferramenta. Os países africanos serão os próximos, com previsão de início de uso a partir de março de 2021. A expectativa é impactar 25 milhões de crianças no mundo todo até 2030. O projeto de exportação faz parte do programa ProFuturo, uma parceria entre a Fundação Telefônica Vivo e a Fundação “La Caixa” e tem como objetivo diminuir a desigualdade educacional no mundo.

Quero receber conteúdos exclusivos do EducaLab