Vídeo do MBL com menção a estupro repercute nas redes

Imagens de 2018 mostram coordenador Nacional do MBL alegando que estuprariam uma colega

Renan em video
Legenda: Um vídeo de 2018 do Movimento Brasil Livre (MBL), com menção ao estupro de uma integrante, começou a repercutir neste domingo (12)
Foto: Reprodução

Um vídeo de 2018 do Movimento Brasil Livre (MBL), com menção ao estupro de uma integrante, começou a repercutir nas redes sociais na noite deste domingo (12).  Renan Santos, coordenador Nacional do MBL, aparece nas imagens falando a amigos que, se eles fossem impedidos de entrar em um bar, eles iriam “estuprar” a “agente Bárbara”. 

Ele pede que os militantes repitam frases de ordem, nas quais diz que seguiriam para o bar Violeta, que fica localizado na Rua Augusta, em São Paulo. 

"Se não formos permitidos entrar, a Bárbara sera estuprada", diz Renan, acompanhado pelo grupo e ovacionado logo em seguida.

Envolvidos alegam "piada"

Pelo twitter, Renan tentou se explicar em uma série de publicações. "Deplorável a turma ‘politicamente incorreta’ não entender uma piada entre amigos bêbados. Piada ruim, mas piada”, disse. 

Bárbara Tonelli, também militante do MBL, é a jovem citada no vídeo. Ela saiu em defesa da fala de Renan, dizendo que as palavras ditas por ele foram uma “brincadeira entre amigos”. 

“A piada sem graça foi comigo. Meu nome está no vídeo. Estão compartilhando o vídeo. Não tiveram o cuidado de ocultar o meu nome. E a culpa ainda é minha. Vai entender”, questionou Bárbara.

Nesta segunda-feira, uma nota assinada pelos dois foi publicada nas redes sociais. No post de Renan, ele acusa a ministra Damares Alves de divulgar o video de forma criminosa e afirma que irá processá-la. 

Renan no twitter
Foto: Reprodução Twitter

 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil

Assuntos Relacionados